Nokia perdeu 1088 milhões de euros até Setembro, menos 23% do que em 2016

Empresa finlandesa de telecomunicações reportou um aumento de 12% nos lucros brutos e uma redução de 72% nas perdas operacionais.

Os novos aparelhos da Nokia são fabricados na Finlândia pela HMD Global
Foto
Os novos aparelhos da Nokia são fabricados na Finlândia pela HMD Global Reuters/Dado Ruvic

A Nokia registou perdas líquidas de 1088 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, uma queda de 23% em relação aos números registados em igual período de 2016, adiantou esta quinta-feira a empresa finlandesa.

O lucro bruto da empresa de telecomunicações entre Janeiro e Setembro foi de 6546 milhões de euros, um aumento de 12% em relação ao mesmo período do ano anterior, o que permitiu reduzir a perda operacional em 72%, para 403 milhões de euros.

Os resultados financeiros do grupo foram ponderados por itens extraordinários relacionados com a aquisição da rival Alcatel-Lucent e os custos de reestruturação decorrentes da fusão.

Excluindo as despesas e as receitas extraordinárias, o lucro líquido atribuído entre Janeiro e Setembro ascendeu aos 1160 milhões de euros, 92% mais que no mesmo período de 2016.

Nos primeiros nove meses deste ano, a Nokia facturou 16.496 milhões de euros, uma queda de 3%, principalmente devido à queda nas vendas da sua divisão de rede de telecomunicações, que foi ligeiramente compensada pelo crescimento de licenças e patentes.

A Nokia Networks, o principal negócio da empresa, facturou 14.696 milhões de euros até Setembro, 7% menos, depois de ter registado vendas menores nas três áreas que actualmente compõem esta divisão: as redes ultra-wideband, serviços globais e redes IP e aplicações.

Por sua vez, a Nokia Technologies, a divisão que gere o portfólio de patentes e o negócio de licenciamento, facturou 1099 milhões de euros, um aumento de 48% e contribuiu com 736 milhões de euros para o grupo, mais 75% do que nos primeiros nove meses de 2016.

Parte deste aumento foi devido ao acordo alcançado em Maio entre a Nokia e a Apple para acabar com as disputas legais relacionadas com o uso indevido pela Apple das patentes da empresa finlandesa.

Este acordo significou a retirada de todos os processos judiciais movidos pela Nokia em troca do pagamento pela Apple de uma quantia que não foi tornada pública, como compensação por ter usado a propriedade intelectual da Nokia durante anos sem os direitos necessários.

As receitas desta divisão também incluem regalias procedentes da venda dos novos aparelhos da marca Nokia, fabricados sob licença e exclusivamente pela empresa finlandesa HMD Global.

Sugerir correcção