Cem anos de Jean Rouch (e música a dar com um pau) no Porto/Post/Doc

O festival associa-se ao centenário do nascimento de Rouch, numa edição que aposta no arquivo como tema central.

<i>Chronique d’un été</i> (1961, dirigido com Edgar Morin)
Foto
Chronique d’un été (1961, dirigido com Edgar Morin)

Já sabíamos da aposta no arquivo como tema central do quarto ano do Porto/Post/Doc, e das presenças de Filipa César, Albertina Carri ou Paz Encina no painel de discussões Forum do Real. Começa agora a desenhar-se a restante programação do festival portuense de cinemas do real, que vai decorrer entre 28 de Novembro e 3 de Dezembro no Rivoli e Passos Manuel, e que será oficialmente apresentada em conferência de imprensa na próxima terça (31). 

O Porto/Post/Doc começa por se associar ao centenário do nascimento de Jean Rouch (1917-2004), o mestre antropólogo do cinéma-vérité que abriu novas portas ao cinema. O Cinema Verdade: 100 Anos de Jean Rouch apresenta em cópias restauradas cinco dos principais filmes da sua obra: Os Mestres Loucos (1955), Eu, um Negro (1958), Chronique d’un été (1961, dirigido com Edgar Morin), A Pirâmide Humana (1961) e Jaguar (1968), aos quais se vem juntar a média de 35 minutos que Rouch filmou no Porto em 1996 com Manoel de Oliveira, En une poignée de mains amies.

Ao mesmo tempo, o festival volta a apostar na programação de filmes musicais Transmission, que este ano circula igualmente à volta do arquivo. Primeiro, com a presença do cineasta e músico Don Letts, cúmplice da primeira hora dos Clash, que virá mostrar Two Sevens Clash: Dread Meets Punk Rockers, documentário sobre a influência da música jamaicana na revolução punk dos finais da década de 1970. Depois, com a exibição de B-Movie: Lust & Sound in West Berlin 1979-1989, colagem audiovisual de Mark Reeder sobre Berlim Ocidental como fervilhante centro criativo artístico. Finalmente, com Não Consegues Criar o Mundo Duas Vezes, onde Catarina David e Francisco Noronha (colaborador do Ípsilon) traçam a história da cena hip-hop portuense. 

O Porto/Post/Doc traz também à Invicta Franz Treichler dos Young Gods, que apresentará com Peter Mettler e Jeremy Narby a performance Yoshtoyoshto, inspirada pela linguagem da tribo amazónica Yaminahua, e o documentário Supersonic Airglow, sobre a digressão conjunta do grupo suíço com o trio de “música de câmara hardcore” Koch-Schütz-Studer em 2010. Os pormenores vão estar todos no site oficial www.portopostdoc.com.