Incêndios: entregues primeiras 72 toneladas de rações para animais

Os incêndios e a seca obrigam a
Foto
Depois das terras ardidas e da seca, falta alimentação dos animais Adriano Miranda

As primeiras 72 toneladas de rações para animais, de um total de 600, que o Governo vai disponibilizar até sexta-feira, para apoiar os produtores agro-pecuários afectados pelos incêndios de dia 15, foram distribuídas nesta quarta-feira, em Tondela e Vila Nova de Poiares.

“Vamos distribuir as quantidades necessárias para acudir à alimentação animal, pelo período que for necessário”, disse à agência Lusa o secretário de Estado da Agricultura, Luís Medeiros Vieira, em Vila Nova de Poiares, no distrito de Coimbra, onde uma das cinco plataformas logísticas criadas entrou em actividade.

As cinco plataformas instaladas nos municípios de Monção, Tondela, Vagos, Vila Nova de Poiares e Gouveia vão agregar 37 concelhos e abranger a alimentação de meio milhão de ovinos e caprinos e 180 mil bovinos.

Nesta quarta-feira, o centro de Tondela distribuiu 48 toneladas e o de Vila Nova de Poiares, 24.Os restantes iniciam a sua actividade até ao final da semana.

O governante anunciou que vão ser distribuídas 600 toneladas de alimentos, mas que os stocks vão estar constantemente a ser repostos.

Luís Medeiros Vieira disse ainda que, logo que possível, vai chegar palha e feno para complementar as rações, mas que a seca extrema, em Portugal e Espanha, está a dificultar a sua aquisição, estando o Governo a negociar esses produtos em França.

“Nenhum animal irá morrer à fome”, garantiu o governante.

A plataforma de Vila Nova de Poiares abrange, além do próprio concelho, os municípios de Arganil, Cantanhede, Figueira da Foz, Lousã, Mira, Nelas, Oleiros, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penacova e Tábua.

A de Tondela distribui por Carregal do Sal, Mangualde, Mortágua, Oliveira de Frades, São Pedro do Sul, Santa Comba Dão e Vouzela, enquanto Vagos abrange Arouca, Castelo de Paiva e Vale de Cambra, além de Vagos.

A base de Gouveia abrange os municípios de Castelo Branco, Guarda, Pinhel, Sabugal, Seia e Sertã.

Mais a norte, a plataforma logística de Monção distribui alimentos para animais para os concelhos de Boticas, Melgaço, Montalegre, Torre de Moncorvo e Vieira do Minho.

As Forças Armadas participam nas operações de distribuição da alimentação, com quase uma centena de elementos dos ramos do Exército e da Marinha e 35 viaturas de transportes e empilhadores.

Segundo o secretário de Estado da Defesa, Marcos Perestrelo, que esteve também presente em Vila Nova de Poiares, cada plataforma logística vai contar com cerca de 15 a 18 militares e duas a três viaturas.

“Estes operacionais vão estar empenhados nas operações de distribuição da alimentação animal quando seja de todo impossível aos agricultores assegurarem eles próprios esse transporte”, sublinhou.