Escolhida nova liderança chinesa sem indicação do sucessor de Xi

Foi apresentado o novo Comité Permanente do Politburo, o órgão mais poderoso da política chinesa.

O  Comité Permanente do Politburo, composto exclusivamente por homens com mais de 60 anos
Foto
O Comité Permanente do Politburo, composto exclusivamente por homens com mais de 60 anos LUSA/HOW HWEE YOUNG

O Partido Comunista Chinês revelou nesta quarta-feira a sua nova liderança, dando a conhecer os sete membros do Comité Permanente do Politburo – um órgão muito restrito que define as grandes políticas de Estado. Entre eles não existe um possível sucessor de Xi Jinping. Todos os membros têm entre 60 e 67 anos, sendo que as regras dizem que os líderes não podem ter mais de 68, não se vendo assim quem poderá tomar as rédeas.

Esta opção reforça o poder de Xi Jinping, eleito secretário-geral até 2022 e que já tinha visto o congresso consagrar o seu "pensamento" na constituição do PCC, conferindo-lhe um estatuto idêntico ao de Mao Tsetung.

O anúncio dos membros do Comité Permanente surgiu no encerramento do 19.º Congresso do Partido Comunista Chinês, que decorreu em Pequim durante a última semana.  Li Zhanshu (67 anos), Li Keqiang (62 anos), Han Zheng (63 anos), Zhao Leji (60 anos), Wang Yang (62 anos) e Wang Huning (62 anos) são os nomes que compõem o grupo, exclusivamente masculino, em que está também Xi Jinping.

Esta escolha está a ser encarada com alguma apreensão por especialistas políticos, uma vez que a ausência de sucessores prováveis e o novo estatuto de Xi Jinping levanta preocupações ao nível da aproximação do sistema político a uma ditadura. Foi a entrada de Xi no Comité Permanente em 2007 que marcou o início da sua ascenção e chegada à liderança do partido, sucedendo a Hu Jintao. 

As mesmas preocupações estendem-se às restrições impostas pelo Partido Comunista Chinês. “Não consigo compreender como é que a segunda maior economia mundial, que está a declarar o seu novo papel na liderança mundial, é tão opaca quanto o sistema político da Coreia do Norte”, disse Jude Blanchette, especialista em política chinesa, em declarações ao Guardian. Uma postura que considera “inaceitável” para um país que ambiciona desempenhar um papel “fundamental” no século XXI.

Vários representantes da imprensa ocidental foram excluídos da sessão desta quarta-feira: a BBC, o Financial Times, a Economist, o New York Times e o Guardian não puderam cobrir o encerramento do Congresso. Não foi dada uma explicação oficial, mas de forma oficiosa os jornalistas foram informados que os textos que escreveram forma responsáveis por esta decisão, diz a BBC, que considera que foi um sinal de que Xi está determinado em controlar a mensagem interna e externa.

Ao quebrar o precedente de preparar uma sucessão, Xi Jinping “aproxima-se mais de Mao do que originalmente pensámos”, aponta Susan L. Shirk, professora na Universidade da California, em San Diego, citada pela Reuters.

Um Politburo de apoiantes

De acordo com fontes ligadas à liderança e diplomacia de Pequim ouvidas pela Reuters, dos 25 membros do Politburo, pelo menos 14 são próximos de Xi, o que coloca os seus aliados no domínio do órgão que controla as actividades do Comité Central.

Por outro lado, sublinham as mesmas fontes, entre os seis novos membros do Comité Permanente, apenas um é do círculo próximo de Xi, embora os restantes não sejam vistos como rivais do secretário-geral do PCC.

Com as novas nomeações desta quarta-feira, a idade média dos membros do Politburo aumenta para 62,4 anos. Há cinco anos era de 61,1 anos. Na lista figura apenas uma mulher, Sun Chunlan, chefe da Frente Unida, único sindicato do regime. No anterior Politburo estavam duas mulheres.

Os sete homens que comandam a China

Xi Jinping – Secretário-geral do Partido Comunista Chinês. Tem 64 anos e renova o seu mandato como Presidente da China. Nasceu em Pequim. Viu esta terça-feira o seu “pensamento” ser inscrito na Constituição do partido.
Li Keqiang – Primeiro-ministro chinês. Tem 62 anos. Formado em economia. É natural da província de Anhui.
Li Zhanshu – Apontado como o mais provável a assumir a liderança do Congresso Nacional. Tem 67 anos. Conhece Xi desde 1983.
Han Zheng – Tem 63 anos. É-lhe atribuído crédito pelo crescimento económico da cidade de Xangai, de onde é natural. Foi um dos facilitadores da abertura da primeira Disneylândia na China, em 2016.
Zhao Leji - O mais jovem membro, com 60 anos. Será secretário da Comissão Central de Disciplina e Inspecção do PCC, órgão da anticorrupção do partido.
Wang Yang – Vice-primeiro-ministro chinês. Tem 62 anos. Responsável pelas políticas agrícolas e comerciais.