Turismo, cultura e educação entre prioridades do novo presidente da câmara do Barreiro

Nas autárquicas de 1 de Outubro, o Barreiro, um dos bastiões históricos dos comunistas, foi uma das surpresas eleitorais da noite ao passar para as mãos dos socialistas.

Foto
Nos terrenos à beira-rio, acredita Frederico Rosa, poderão ser desenvolvidos projectos turísticos que sejam uma “âncora" para o concelho do Barreiro Nuno Ferreira Santos

O desenvolvimento turístico, a cultura, a educação e o empreendedorismo são quatro áreas prioritárias para o novo executivo socialista na Câmara Municipal do Barreiro, disse esta segunda-feira à agência Lusa o presidente da autarquia, Frederico Rosa.

"O Barreiro tem um nicho muito interessante de criativos, quer na parte musical, quer no design ou na arte urbana. Queremos potenciar esta oferta e que ela não fique entre muros", disse o novo presidente do município, que tomou posse do cargo no domingo, depois de ganhar a câmara do Barreiro à CDU nas últimas eleições autárquicas de 1 de Outubro.

"Vamos apostar bastante na cultura", acrescentou Frederico Rosa, que também promete uma estratégia de desenvolvimento turístico do Barreiro, um sector que considera ser fundamental para o futuro do concelho.

"Queremos desenvolver uma oferta turística - o Barreiro tem potencial e tem terrenos disponíveis para criar uma oferta complementar que ajude a desconcentrar o que existe em Lisboa", disse o autarca socialista.

Frederico Rosa lembrou que o anterior executivo da CDU adquiriu a Quinta do Braamcamp, com cerca de 20 hectares de terrenos à beira-rio, virados para Lisboa, uma zona onde poderão ser desenvolvidos vários projectos turísticos, que poderão funcionar como "projectos-âncora" do concelho do Barreiro.

A educação e o apoio ao empreendedorismo são outras prioridades do novo executivo socialista do Barreiro, que promete ainda oferecer dois livros escolares - Português e Matemática - a todos os alunos do concelho que frequentem entre o 6º e o 9º ano de escolaridade, como forma de contribuir para a fixação da população do concelho e estancar o êxodo de muitos barreirenses.

Nesse sentido, a maioria socialista na Câmara do Barreiro promete ainda trabalhar para fixar os jovens mais qualificados e empreendedores, criando condições para que possam desenvolver os seus projectos no concelho e para acabar com o estigma, que diz ainda existir, de que o Barreiro é um concelho fechado ao investimento privado.
Apesar de ter apenas maioria relativa no executivo camarário - quatro eleitos do PS, quatro da CDU e um do PSD -, Frederico Rosa mostra-se confiante de que será possível governar em diálogo com os partidos da oposição.

Uma convicção reforçada pelas conversas que já teve com o presidente da distrital do PSD e vereador social-democrata no Barreiro, Bruno Vitorino. A CDU não aceitou o diálogo entre partidos, remetendo qualquer eventual entendimento para as conversas entre o presidente eleito do PS e os vereadores do PCP e do PEV, mas Frederico Rosa reconhece que se trata de um "posição coerente" com a postura adoptada pela CDU quando governou o município.

"Ninguém passa um cheque em branco a ninguém, mas, com base na honestidade e confiança, vamos criar uma plataforma alargada de entendimento", concluiu o novo presidente da Câmara Municipal do Barreiro.

Sugerir correcção