Mais de 500 casas de primeira habitação destruídas e 300 empresas afectadas

Governo aloca 30 milhões de euros para ajudar à reconstrução destas casas e 100 milhões para as empresas. Mais de 300 empresas afectadas.

O Conselho de Ministros este sábado
Foto
O Conselho de Ministros este sábado Nuno Ferreira Santos

Os números ainda são provisórios, mas dão conta que mais de 500 casas de primeira habitação foram destruídas pelos incêndios deste fim-de-semana. No total, disse ainda o ministro do Planeamento Pedro Marques, foram afectadas 300 empresas na região Centro e Norte.

O governante falou em prejuízos “de grande monta” que afectaram “dezenas de municípios, muitas famílias, empresas e infra-estruturas municipais”.

Assim, o Governo decidiu em Conselho de Ministros alocar uma verba de 30 milhões de euros para reconstrução das habitações, sendo que em primeiro lugar as famílias têm de recorrer aos seguros, se os tiverem.

Além deste apoio às famílias, tendo em conta o número de empresas afectadas, o Governo vai disponibilizar um fundo de 100 milhões de euros para a reconstrução das empresas afectadas, a fundo perdido.

Ainda para as empresas, foi definida uma linha de crédito até 100 milhões de euros para apoiar a tesouraria das empresas, “para a gestão das empresas", disse.

Contudo, “primeiro entram os seguros, têm de ser accionados os seguros”. Como outra medida para o investimento nestas zonas, foi criado um sistema de apoio para o investimento de 50 milhões de euros de fundos comunitários que poderá apoiar até 100 milhões de euros em novos investimentos nas áreas.

Houve ainda medidas tomadas no âmbito da Segurança Social para a manutenção dos postos de trabalho.