Ordem garante que Sócrates não é engenheiro

A associação profissional vai alertar a Assembleia da República que a referência ao título na sua página na Internet não é correcta. Ao PÚBLICO ex-primeiro ministro confirma que nunca exerceu a profissão, é "licenciado" em Engenharia Civil e é isso que reclama.

Foto
LUSA/JOSÉ COELHO

A Ordem dos Engenheiros enviou um esclarecimento aos seus associados em que revela que o ex-primeiro-ministro José Sócrates não é engenheiro. A ordem informa ainda que vai alertar a Assembleia da República para “a desconformidade existente na referência biográfica patente no seu portal” na Internet.

Ao PÚBLICO, José Sócrates diz que "nunca" reclamou "nenhum título profissional de engenheiro": "Nunca estive inscrito na Ordem [dos Engenheiros]. Nunca exerci a profissão. Sou licenciado em Engenharia Civil, curso que concluí na Universidade Independente." E acrescenta: "É um abuso pretender que usurpei fossem quais fossem as funções profissionais", acrescentou. "Só se pode entender [esta notícia] num clima de campanha contra mim."

Mais tarde, numa nota escrita, o ex-primeiro ministro acrescentou: "O título de engenheiro com que sou tratado não diz respeito a minha actividade profissional mas à minha habilitação académica". Diz ser "engenheiro técnico pelo ISEC (Instituto de Engenharia de Coimbra) desde 1979", "licenciado em engenharia civil pela Universidade Independente desde 1996", "titular de um MBA pelo ISCTE" concluído em 2004, e tem "ainda o título de  mestre em Teoria Política pela universidade francesa de Sciences Po."  

Esta informação da ordem, publicada no site da associação na quinta-feira, surge “face ao inusitado número de interpelações e pedidos de informação que ultimamente têm sido dirigidos” à associação profissional “por parte dos seus membros e cidadãos”.

A Ordem dos Engenheiros entendeu prestar um esclarecimento nos exactos termos em que o tem feito, sempre que foi questionada sobre o mesmo assunto, que foi publicado no portal e que aponta basicamente o que segue: “Nos termos da alínea b), do n.º 2, do Art. 4.º do Estatuto da Ordem dos Engenheiros (Lei 123/2015, de 2 de Setembro), cabe a esta associação profissional atribuir, em exclusivo, o título profissional de engenheiro. O ex primeiro-ministro José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa não está, nem nunca esteve, inscrito na Ordem dos Engenheiros”, diz o comunicado.

A ordem diz não ter conhecimento “que o cidadão em causa tenha alguma vez utilizado indevidamente o título profissional de engenheiro, em violação do n.º 4 do Art.º 7.º dos referidos Estatutos”. Reconhece, porém, ser público que em múltiplas ocasiões é feita uma menção a esse título “indevidamente por terceiros”.

Sobre a referência ao título na página oficial da Assembleia da República a associação profissional diz num e-mail enviado a um dos seus associados que pediu esclarecimentos: “A Ordem dos Engenheiros irá, dentro das suas obrigações estatutárias, contactar a Assembleia da República no sentido de alertar para a desconformidade existente na referência biográfica patente no seu portal.”

Já no que respeita ao facto de José Sócrates ser identificado como engenheiro na página da Wikipedia, a associação diz que aquele serviço, ao contrário da Assembleia da República, não é oficial, mas lembra os seus associados que “podem intervir na edição de conteúdos, alterando-os sempre que considerem oportuno”.

Nota: por lapso, José Sócrates indicou que se tinha licenciado no ISCTE em 1979 mas mais tarde corrigiu dizendo que afinal se licenciou no ISEC, Instituto de Engenharia de Coimbra