Federer vence Nadal e alcança Lendl

Vitória do suíço acabou por ser mais fácil do que o esperado perante o grande rival espanhol.

Fotogaleria
Reuters/ALY SONG
Fotogaleria
Reuters/ALY SONG
Fotogaleria
Reuters/ALY SONG
Fotogaleria
Reuters/ALY SONG
Fotogaleria
Reuters/ALY SONG

Roger Federer somou a quinta vitória seguida sobre Rafael Nadal (quarta este ano) no Shanghai Rolex Masters, pondo fim a uma série de 16 triunfos consecutivos do espanhol. Mas fez mais: o suíço de 36 anos ganhou o terceiro troféu Masters 1000 nesta época (juntamente com Indian Wells e Miami) e o 94.º título da carreira, igualando Ivan Lendl e só atrás do recordista Jimmy Connors, que venceu 109 torneios.

Um break logo no início da final colocou Federer no comando e deu-lhe toda a tranquilidade para impor o seu ténis ofensivo, chegando a ganhar um jogo em 52 segundos, graças a quatro ases. Durante os 71 minutos da final, Nadal não logrou obter um único break-point e acabou derrotado em dois sets: 6-4, 6-3. “Não me senti nervoso antes do encontro, o que foi bom. Tinha bem claro como queria jogar e, quando entrei, comecei muito bem e senti-me relaxado desde aí. De certa maneira não é nenhuma surpresa, porque senti-me bem durante toda a semana”, disse Federer.

Nadal sofreu a primeira derrota desde que regressou à liderança do ranking, mas mantém uma vantagem de 1960 pontos sobre o suíço, quando ainda há 3000 pontos possíveis até ao final da época, nos torneios de Basileia, Masters 1000 de Paris e ATP Tour Finals. “Foi um encontro muito difícil para mim, ele jogou muito rápido e muito bem; não sei quantos erros não forçados cometeu…”, admitiu Nadal, que continua a liderar nos confrontos entre ambos, por 23-15. Mas Federer rejeita ter o objectivo de inverter essa situação.

“Isso nunca irá acontecer. Não vamos ficar anos suficientes no circuito e estamos tão bem classificados que só nos defrontamos em finais. Claro que gostava que fosse diferente, mas tenho o máximo respeito por Rafa. Defrontei-o muitas vezes em terra batida no início da carreira. Tentei, estive perto em muitas ocasiões, mas ele é melhor em terra batida”, reconheceu Federer.

Também na China, Maria Sharapova conquistou o 36.º título da carreira e primeiro desde 2015 — e desde que regressou à competição, em Baril, após a suspensão por doping. Sharapova derrotou na final a bielorrussa Aryna Sabalenka (102.ª), por 7-5, 7-6 (10
8), e vai ser a grande atracção, nesta semana, em Moscovo, onde não compete desde 2007.

Gastão Elias (128.º) também viu interrompida a série de oito encontros ganhos, ao ser eliminado do challenger de Buenos Aires, na Argentina, pelo argentino Nicolas Kicker (99.º): 6-4, 6-2. A boa prestação do número três português deverá permitir-lhe subir uma dúzia de lugares no ranking ATP.