Modelo negra do anúncio polémico da Dove não o considera racista

Anúncio foi muito criticado nas redes sociais.

DR
Foto
DR

A modelo negra que surge no polémico anúncio da Dove veio a público declarar que aquele não é racista, antes pelo contrário, que celebra a variedade étnica. 

Sem querer, a modelo Lola Ogunyemi foi atirada para o centro de uma polémica por causa de um vídeo com pouco mais de três segundos que foi posto no Facebook da Dove nos EUA. Naquele, a jovem tira uma t-shirt que revela uma mulher branca, esta faz o mesmo gesto e, por baixo, está uma mulher de origem asiática.

"Não sinto que seja racista", declarou a modelo entrevistada pela BBC na quarta-feira, acrescentando que o anúncio ao gel de banho é maior do que os frames que foram retirados e que mostram apenas a passagem dela para a modelo branca e não mostram a asiática.

Foram estas imagens que enfureceram as redes sociais, que acusaram a marca de produtos de higiene de ser racista e lembraram um anúncio do século XIX a um sabonete que mostrava pessoas negras a esfregarem-se para ficarem brancas. Face à polémica, a Dove veio pedir desculpa.

Lola Ogunyemi – é de origem nigeriana, nasceu no Reino Unido, mas foi criada nos EUA – disse ao The Guardian que cresceu "consciente de que a opinião geral é que as pessoas de pele escura, especialmente as mulheres, ficariam melhor se tivessem uma pele mais clara", cita a Reuters. 

Longe de concordar com esta opinião, a modelo participou no anúncio porque o viu como uma oportunidade de "representar as irmãs de pele escura numa marca global de beleza". Em vez de um pedido de desculpa, a Dove deveria ter defendido o conceito por detrás do vídeo, considera ainda.

No entanto, avalia ainda que a marca deveria ter calculado o risco que aquela sequência de imagens teria. A Dove "deveria ter equipas mais fortes que avaliassem este tipo de coisas antes de ir para o ar", conclui.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações