Bloco diz que Presidente defendeu que "ninguém pode ficar para trás"

Em vésperas de Orçamento do Estado, o Presidente fez uma convocatória para o "essencial", diz líder parlamentar do BE. E deixou "uma palavra de solidariedade" aos professores.

Pedro Filipe Soares frisa que BE pede um concurso extraordinário de professores em 2018
Foto
Pedro Filipe Soares frisa que BE pede um concurso extraordinário de professores em 2018 Mario Lopes Pereira

 O líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, leu no discurso do Presidente da República a defesa de que ninguém pode ficar para trás, numa convocatória "para o essencial" em vésperas de discussão do Orçamento do Estado.

"O discurso do Presidente da República alerta o país para a necessidade de nós respeitarmos, por um lado, os preceitos democráticos, como a República obriga, mas, acima de tudo, de não deixarmos ninguém para trás neste caminho que está a ser feito com a recuperação económica", defendeu Pedro Filipe Soares.

Falando aos jornalistas após a cerimónia comemorativa do 5 de Outubro, na praça do Município, em Lisboa, Pedro Filipe Soares deixou "uma palavra de solidariedade" aos professores em protesto naquele local, contra o concurso de colocação de docentes.

Referindo-se ao discurso do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o líder da bancada bloquista disse que "nas vésperas do Orçamento do Estado" aquele faz uma convocatória "para o essencial"

O essencial é, segundo o BE, garantir "que a melhoria económica tem, de facto, resultados concretos na vida das pessoas, na melhoria dos serviços públicos, no bolso das pessoas", reiterando a defesa da alteração dos escalões de IRS e o descongelamento das carreiras da administração pública.

"Quando dizemos que valorizamos serviços públicos fundamentais como a educação ou a saúde, estamos a dizer que é a República como um todo que deve ser valorizada", declarou.

Acerca do protesto dos professores, Pedro Filipe Soares disse perceber "várias das razões que evocam", e defendeu que "mais do que resolver questões pontuais, e há questões pontuais que devem ser resolvidas, há matérias de fundo sobre a estabilidade da vida docente que devem ser levadas por diante".

Pedro Filipe Soares sublinhou ainda que o Bloco tem vindo a defender a realização, em 2018, de "um concurso extraordinário para vinculação de professores".