Regulador nacional da aviação inspecciona comportamento da Ryanair

ANAC está a analisar actuação da empresa nos aeroportos de Faro, Lisboa, e Porto na sequência da suspensão de voos.

Foto
Reuters/Kevin Coombs

O cancelamento de voos por parte da Ryanair, devido a falhas internas na elaboração do mapa de pessoal (escalas de pilotos), está a ser acompanhado de perto pela Associação Nacional de Aviação Civil (ANAC). Ao PÚBLICO, fonte oficial afirmou que o regulador está a conduzir acções de inspecção nos aeroportos de Faro, Lisboa e Porto.

O objectivo é averiguar se a transportadora aérea está a cumprir com o regulamento no que toca aos direitos dos passageiros em termos de reembolsos e reencaminhamentos. Para já, ainda não há resultados dessas acções, e também não foi possível saber o número de queixas que já deram entrada na ANAC desde o dia 19, data em que o regulador emitiu um comunicado a disponibilizar esse serviço.

No caso de Portugal, a Ryanair, que diz estar a cumprir com todos os regulamentos, vai cancelar 1094 voos entre 1 de Novembro deste ano e 24 de Março do próximo ano, com especial incidência no Porto. Antes disso, entre Setembro e o final de Outubro somam-se outros 109 voos.

Por parte da Direcção-Geral do Consumidor, esta registou, até segunda-feira, apenas seis pedidos de informação de consumidores, segundo os dados disponibilizados ao PÚBLICO através do Ministério da Economia. Há, por outro lado, o Centro Europeu do Consumidor em Portugal (que pode articular-se com o centro da Irlanda), que registou “a recepção de quatro pedidos de informação de consumidores, e de duas reclamações”.