Europa

Entre cravos e cargas policiais, os catalães saíram à rua para votar

A violência marcou o dia do referendo pela independência, mas não conseguiu apagar o sorriso de quem conseguiu votar.

EPA/Alberto Estevez
Fotogaleria
EPA/Alberto Estevez

As imagens das cargas policiais um pouco por toda a Catalunha marcaram o dia do referendo pela independência e deram a volta ao mundo. O referendo que "não aconteceu", nas palavras da vice-presidente do Governo espanhol Soraya Sáenz de Santamaria.

Nas escolas catalãs, novos e velhos esperaram horas a fio para poder votar. Alguns não puderam fazê-lo devido à intervenção da Polícia Nacional e da Guardia Civil, que apreendeu urnas e boletins.

O Governo espanhol diz que a acção da polícia foi "firme e proporcionada", a Generalitat (governo autonómico) fala em "violência contra civismo" e garante que a "vergonha vai acompanhar para sempre" o Estado espanhol.

EPA/ANDREU DALMAU
EPA/JAUME SELLART
EPA/JAUME SELLART
EPA/Alberto Estevez
EPA/Alberto Estevez
EPA/Andreu Dalmau
EPA/Robin Townsend
EPA/Andreu Dalmau
EPA/Mariscal
REUTERS/Enrique Calvo
REUTERS/Albert Gea
REUTERS/Juan Medina
REUTERS/Albert Gea
REUTERS/Susana Vera
REUTERS/Yves Herman
REUTERS/Yves Herman
EPA/Marta Perez
REUTERS/Yves Herman
REUTERS/Juan Medina
REUTERS/Juan Medina
EPA/Adria Ropero