Rangel vê substituto de Schäuble como provável sucessor de Merkel

O vice-presidente do PPE vê a subida de Altmeier à pasta das Finanças, ainda que temporária, como “a garantia de que a Alemanha quer aprofundar o projecto de integração” europeia.

Foto
LUSA/SOEREN STACHE

O eurodeputado Paulo Rangel vê vários sinais na substituição temporária do ministro das Finanças alemão pelo chefe de gabinete de Angela Merkel e todos os que vê considera positivos.

“A notícia de que Peter Altmeier vai substituir - ainda que interinamente - Wolfgang Schäuble é uma grande notícia para a Europa”, escreveu esta sexta-feira no Facebook o eurodeputado do PSD que é vice-presidente do PPE, grupo parlamentar de que faz parte a CDU de Merkel, afirmando que se trata de um político “fortemente pró-europeu”.

Rangel é vice-presidente do Parlamento Europeu e trabalhou de perto Altmeier na rede do PPE de parlamentos nacionais, que o português coordenou entre 2009-2014. Na sua análise, a subida à pasta das Finanças “é um sinal inequívoco de que Merkel vai jogar a carta europeia nas negociações com liberais e verdes” para a formação da nova coligação governamental alemã.

“Altmeier é uma garantia de que a Alemanha quer aprofundar o projecto de integração. E será também um sinal - não tão surpreendente - de quem parte à frente para a sucessão de Merkel”, escreve Rangel. Até porque, sublinha, o cargo que o alemão desempenha hoje “equivale a um ministro-adjunto da chanceler ou ministro dos assuntos parlamentares”, ou seja, “era já o braço direito de Merkel e o homem forte do Governo.

Sugerir correcção