Sp. Braga coloca à prova a resiliência “encarnada”

A atravessar um momento conturbado, o Benfica vai defrontar na Taça da Liga uma equipa bracarense moralizada

Foto
LUSA/FERNANDO VELUDO

Duas derrotas, um empate e uma (sofrida) vitória nos últimos quatro jogos fizeram soar o alarme no Estádio da Luz. Exibindo excessivas debilidades na defesa, o Benfica está, ao fim de pouco mais de um mês de competição, numa posição fragilizada no campeonato e na Liga dos Campeões, e a jornada inaugural da Taça da Liga servirá para colocar à prova a resiliência das “águias”. Frente a um Sp. Braga moralizado pelos triunfos contra o Hoffenheim e V. Guimarães, Fejsa e Jardel podem ser os principais reforços para Rui Vitória.

Nos primeiros quatro jogos oficiais desta época, o Benfica somou quatro vitórias, com 12 golos marcados e dois sofridos. À quinta partida, em Vila do Conde, Jardel lesionou-se ao 15.º minuto e a solidez defensiva dos “encarnados” desfez-se como um baralho de cartas. Com a dupla Jardel/Luisão desfeita, o Benfica não voltou a terminar um jogo sem sofrer golos e as derrotas nos duelos contra CSKA Moscovo e Boavista abriram uma minicrise na Luz. O regresso de Jardel, que tal como Fejsa está recuperado de lesão, pode ser o antídoto que Rui Vitória necessita para recuperar a auto-estima benfiquista.

Para além do possível regresso do central brasileiro e do médio sérvio – a convocatória de Rui Vitória só é conhecida hoje –, o primeiro jogo dos benfiquistas na Taça da Liga pode resultar na estreia de Krovinovic, sendo ainda provável a titularidade de Júlio César, Rafa, Jiménez e Gabriel Barbosa.

Ao contrário do Benfica, o Sp. Braga está a ter um arranque de época em crescendo e entrará no Estádio da Luz moralizado por duas vitórias importantes. Na antevisão do jogo em Lisboa, Abel Ferreira lembrou que um dos objectivos da época dos minhotos é marcar presença nas meias-finais da Taça da Liga, que se vão disputar em Braga, e revelou que André Moreira e Ricardo Ferreira vão ser titulares e que irá realizar mais três mexidas no “onze”: “Já tinha avisado o André que ia jogar este jogo. Disse-lhe depois da partida com o Boavista, para a Taça da Liga. Quis prepará-lo atempadamente. Quantas mudanças no onze? Vou fazer cinco.”

Com o FC Porto-Rio Ave adiado para 21 de Dezembro, o Grupo D arrancará com a vista do Paços de Ferreira ao Estádio do Mar. Perante um Leixões a atravessar um bom momento (três vitórias e um empate nos últimos quatro jogos), os pacenses vão apresentar um “onze” sem alguns dos habituais titulares, sendo certa a troca de guarda-redes: Defendi ocupará o lugar que no campeonato tem sido de Mário Felgueiras.