Standard & Poor’s sobe rating do BPI e Santander Totta

Bancos beneficiam do efeito da melhoria da opinião da agência relativamente à situação económica e financeira do país.

Foto
BPI foi um dos dois bancos beneficiados pela decisão da Standard & Poor's Fernando Veludo/NFACTOS

É o primeiro efeito colateral positivo da subida de rating da República portuguesa realizada no final da semana passada. Esta terça-feira, a Standard & Poor’s elevou a classificação atribuída a dois bancos portugueses, o BPI e o Santander Totta, argumentando que agora, tendo em conta a situação mais positiva na economia e finanças públicas portuguesas, contam agora com um maior nível de apoio superior.

A subida de rating realizada nos dois bancos foi, no longo prazo, de BB+. para BBB- (no curto prazo passaram de B para A-3). “A subida segue-se a uma acção semelhante no rating soberano português a 15 de Setembro. Isso permitiu-nos incorporar um grau mais elevado de apoio parental do que aquele que tínhamos anteriormente”, afirma a nota publicada pela S&P.

Este tipo de actualizações nos bancos é habitual a seguir a mudanças nos ratings dos países, uma vez que, com uma situação económica e orçamental mais saudável por trás, existe a confiança de que os credores dos bancos possam beneficiar de uma situação mais favorável no caso de a instituição começar a sentir dificuldades. Há ainda outro tipo de ligações entre bancos e Estado, como o facto de as instituições financeiras terem normalmente uma exposição elevada à dívida pública do país onde operam.

Para os bancos, a subida de rating pode constituir uma ajuda no acesso ao financiamento externo. Se os custos de financiamento dos bancos caírem, abre-se a possibilidade de esse benefício ser transferido aos clientes, através de condições de crédito mais favoráveis.