Rentrée poesia: todo o Cesariny e o primeiro Zagajewski

Pela primeira vez, toda a poesia de Cesariny e três importantes antologias: de Adam Zagajewski, Konstandinos Kavafis e Rui Costa.

Foto
Jornal Publico

Na poesia, o grande destaque da rentrée é Poesia Completa de Mário Cesariny. A edição, que sairá em Novembro, na Assírio & Alvim, está a cargo do grande especialista na obra de Cesariny Perfecto E. Cuadrado. Esta é a primeira vez que se publica toda a poesia de Mário Cesariny. Antecipando este grande acontecimento editorial, a chancela da Porto Editora reedita em Outubro dois livros do poeta: Primavera Autónoma das Estradas e Manual de Prestidigitação, e, ainda este Outono, a sua tradução de Rimbaud: Iluminações – Uma Cerveja no Inferno.

Em Setembro, a Relógio d’Água publica O Pangolim e Outros Poemas, de Marianne Moore, com tradução e selecção de Margarida Vale de Gato. No ano em que passam duas décadas sobre a morte de Rui Knopfli, a Tinta-da-china lança a antologia Nada Tem já Encanto. Organizado por Pedro Mexia, o volume conta com prefácio de Eugénio Lisboa. Do mesmo poeta, a Do Lado Esquerdo lançara, em Julho passado, Uso Particular, com prefácio de António Cabrita e selecção de Maria Sousa e Nuno Abrantes.

Ainda durante este mês, sai, na Assírio & Alvim, uma importante antologia de Rui Costa, Mike Tyson para Principiantes. O poeta, que morreu em 2012, aos 40 anos, em circunstâncias trágicas, é agora antologiado numa edição coordenada por André Corrêa de Sá e com organização de António Aguiar Costa, Cláudia Souto e Margarida Vale de Gato. A editora publica também o novo livro de Gastão Cruz, Existência, e as integrais Poesia, de Eugénio de Andrade, com prefácio de José Tolentino Mendonça, e Poemas, de Almada Negreiros, com edição de Fernando Cabral Martins, Luis Manuel Gaspar e Mariana Pinto dos Santos.

Igualmente em Setembro, a Editora Exclamação lança a antologia Desaparições, do poeta brasileiro Alexei Bueno, que foi organizada e prefaciada por Arnaldo Saraiva. A Dom Quixote publica Antologia de Poesia Erótica de Bocage, com organização e prefácio de Fernando Pinto do Amaral. Pela Companhia das Ilhas, sai Quatro Garrafas de Água, de Francisco José Craveiro de Carvalho. A Douda Correria continuará a publicar a poeta brasileira Angélica Freitas, com a edição de Um Útero É do Tamanho de Um Punho, e publicará, ainda, Cavalo Alucinado, de Nuno Moura. A Mia Soave lança o livro Contemspoiler, que inclui o CD Livro de Reclamações do poeta e cantor Luca Argel, radicado há alguns anos em Portugal e que publicou, em Julho passado, a antologia da sua poesia 33 Rotações (Averno).

No mês de Outubro, Daniel Jonas publica novo livro de poesia: Oblívio, na Assírio & Alvim. Nesse mesmo mês, chegam às livrarias, por mão da Relógio D’Água, duas novas traduções: Poemas Escolhidos, de W. B. Yeats, com selecção e tradução do poeta Frederico Pedreira; e Poemas, de John Donne, escolhidos e traduzidos por Maria de Lourdes Guimarães. O grande poeta metafísico inglês volta, assim, às livrarias portuguesas depois das traduções de Helena Barbas, há muito esgotadas: Poemas Eróticos (Assírio & Alvim, 1995) e Elegias Amorosas (Assírio & Alvim, 1997). A Do Lado Esquerdo publica Oxalá, de Pedro Santo-Tirso. A Companhia das Ilhas lança Cântico do Estuário, de Ricardo Pérez Piñero, com versão portuguesa de Nuno Dempster.

Em Novembro, sai pela Flop uma relevante tradução de Konstantínos Kaváfis, 145 Poemas. O trabalho, feito directamente a partir do grego, ficou a cargo do poeta e tradutor Manuel Resende. Este volume junta-se às traduções de Joaquim Manuel Magalhães, na Relógio D’Água: Poemas e Prosas (1994) e Os Poemas (2005).

Um dos maiores acontecimentos desta rentrée será a publicação, na Tinta-da-china, de uma antologia da poesia de Adam Zagajewski. Nome cimeiro da literatura europeia, o poeta polaco será pela primeira vez publicado em livro entre nós. A antologia, ainda sem título definitivo, terá tradução de Marco Bruno e Jorge Sousa Braga. No mesmo mês, a Relógio D’Água lança dois títulos de Maria Mafalda Viana, com traduções de Píndaro e estudos dedicados à obra do poeta grego: A Quarta Ode Pítica de Píndaro e O Livro das Odes Nemeias de Píndaro. A Do Lado Esquerdo publica Lonely Gigolo, de Pedro Tiago.