Areias de evento hípico estiveram quatro meses paradas em Santos

Porto de Lisboa não respondeu às perguntas, Junta da Estrela descarta responsabilidades. As areias foram removidas pelo Exército.

Rui Gaudêncio
Foto
Rui Gaudêncio

Só na semana passada é que foram removidas do terraplano de Santos, em Lisboa, as areias usadas num evento hípico que se realizou no fim de Abril. Durante mais de quatro meses, três grandes montes de areia ocuparam o local onde muitos automobilistas estacionam diariamente. Num dos montes eram visíveis dejectos de cavalo secos.

As areias sílicas, especialmente indicadas para a utilização em picadeiros, foram levadas para Santos aquando do CSI Jumping Tour Estrela, um evento equestre que se realizou entre 21 e 23 de Abril. Como o espaço pertence ao Porto de Lisboa, o PÚBLICO questionou esta instituição repetidamente desde o início de Agosto sobre o assunto. Todas as perguntas ficaram sem resposta.

O certame teve o apoio da Junta de Freguesia da Estrela “tanto em termos organizacionais, logísticos e comunicacionais, como em termos de manutenção da higiene urbana”, lê-se no site a junta. Mas esta diz que não é responsável pelo facto de as areias terem estado tanto tempo ali paradas. “No termo da realização do evento, a entidade promotora tinha por obrigação entregar o local onde o mesmo se realizou livre de pessoas e bens, o que não sucedeu quanto às areias sílicas”, explicou Luís Newton, presidente da junta, por e-mail.

A junta, afirma o autarca, “contactou várias vezes a entidade promotora para proceder à remoção das areias sílicas, tendo procedido à sua notificação para o efeito.” Sem sucesso. “Entendemos que o envio deste material para aterro seria um desperdício quando existem tantas entidades públicas com necessidades desta natureza”, continua Newton.

As areias acabaram por ser oferecidas ao Exército, que assumiu a responsabilidade pela sua remoção na segunda semana de Setembro. No local, um militar que manobrava um tractor explicou ao PÚBLICO que as areias foram levadas para o Regimento de Lanceiros nº2, embora o Exército não tenha confirmado oficialmente esta informação.

A entidade promotora a que Luís Newton se refere é a Green Horse, empresa que organiza eventos hípicos em vários pontos do país. Um responsável pela empresa, Eduardo Oliveira, não quis comentar as palavras do presidente da junta e sublinhou o facto de as areias estarem finalmente a sair de Santos. “A areia não é prejudicial a ninguém. Não faz mal a ninguém, não tem contaminação nenhuma e irá ser retirada. Isso é que é importante”, disse.

CSI Jumping Tour Estrela foi um concurso de saltos que contou com a participação de vários cavaleiros portugueses e estrangeiros.