Tony Carreira considera acusação de plágio uma “queixa oportunista e injustificada”

A Regi-Concerto, empresa que representa o cantor, reagiu em comunicado às acusações de plágio garantindo que nenhum artista apresentou queixa.

MANUEL ROBERTO
Foto
MANUEL ROBERTO

Coube à Regi-Concerto, empresa de espectáculos e agenciamento que representa Tony Carreira, a primeira reacção sobre a acusação de plágio contra o cantor por parte do Ministério Público, garantindo que tudo isto parte de uma “queixa oportunista e injustificada da Companhia Nacional de Música, a qual não representa qualquer autor ou artista envolvida nas obras em causa”.

Através do Facebook, a Regi-Concerto diz que Carreira foi já informado da acusação, garantindo que “nenhum autor ou artista apresentou queixa”. “Questões passadas de direitos autorais foram resolvidas em devido tempo com quem de direito”, lê-se ainda.

“O Tony Carreira considera a queixa sem fundamento e insusceptível de perturbar o seu trabalho em prol de um público que o segue há 30 anos”, assegura a empresa.

“Inicia-se agora a fase do processo em que o Tony Carreira terá oportunidade de se defender, o que fará serenamente, certo da razão que lhe assiste”, conclui a Regi-Concerto.