Conteúdo Patrocinado

Banco Popular: a literacia financeira em debate

Esta quinta-feira decorre o segundo encontro do ciclo Conversas Soltas dedicado ao Papel das Empresas na literacia financeira.

Foto

Qual o contributo das empresas para a literacia financeira? Eis a questão em debate na conferência O papel das empresas integrada no ciclo Conversas soltas, Literacia Financeira de A a Z, promovido em parceria pelo jornal Público e pelo Banco Popular.

Empresários e empreendedores com melhor literacia financeira adoptam práticas mais responsáveis, trazem um pensamento crítico mais assertivo que co-responsabiliza os agentes políticos e económicos, contribuindo assim para uma maior estabilidade e sustentabilidade do sistema financeiro. Desta feita, não é só o interesse das empresas que fica salvaguardado, nem a boa comunicação das instituições bancárias, das consultoras e das associações empresariais, mas também, e sobretudo, o bem-estar da população geral garantido pelo aumento dos níveis de conhecimento nesta área.

Imagine que pretende criar um negócio, investir em aplicações financeiras ou reduzir as dívidas da sua empresa. Existe um sem número de produtos, serviços e opções, suficientes para se perder e não fazer nada. É aqui que entra em cena a mais-valia da literacia financeira. E é aqui que se podem distinguir tomadas de decisão assentes na intuição e opções assentes em conhecimento de facto. Onde encontrar este conhecimento? Quem o veicula? Como pode ser aprendido? Duplamente implicadas, as empresas ocupam um lugar determinante, tanto como alvo de sessões de esclarecimento como formadoras dos seus colaboradores.

A contribuição das empresas para a formação de investidores; a capacidade crítica dos empreendedores na adopção de produtos e serviços financeiros para planos de negócio; os principais riscos e fontes de financiamento na criação de uma empresa; o grau de conhecimentos de contabilidade de potenciais empresários, são as principais questões em debate no próximo encontro do ciclo Conversas soltas, Literacia Financeira de A a Z.

O debate contará com os seguintes oradores convidados: Andrade Tavares (Associação Industrial Portuguesa), José António Barros (Associação Empresarial de Portugal), Luís Moura (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), Patrique Fernandes (PwC) e João Tomaz (Associação Portuguesa de Bancos).

A representante da Associação Portuguesa de Bancos, que participou na primeira edição do ciclo, destacou a importância da literacia financeira na sociedade contemporânea, tratando-a «como um projecto de cidadania e de responsabilidade social», uma verdadeira questão de educação, sublinhando os benefícios adjacentes: «o sector bancário, como um todo, terá interesse em vir a ter clientes mais esclarecidos e mais informados».

A literacia financeira continua em debate no segundo encontro do ciclo Conversas soltas, Literacia Financeira de A a Z mas agora focada no Papel das empresas. Acontece já na próxima quinta-feira, dia 14 de setembro, entre as 10h30 e as 12h00, na sede do Banco Popular. O encontro será transmitido em directo através do site www.publico.pt.