Cristas entra no debate de Costa

CDS-PP apresenta nesta quarta-feira a lista de investimentos que considera imprescindíveis para o futuro do país.

NUNO FERREIRA SANTOS
Foto
NUNO FERREIRA SANTOS

O pedido de António Costa à oposição, para conversar sobre as grandes obras públicas que o país deve lançar a partir de 2020, no próximo quadro de apoio comunitário, terá esta quarta-feira uma primeira resposta: Assunção Cristas vai entregar na Assembleia da República um projecto de resolução com uma primeira lista de investimentos que o CDS considera serem imprescindíveis. Para já, apenas estradas e ferrovias, mas incluindo a sua polémica proposta de criação de mais de 20 estações de metro em Lisboa - que marca a sua campanha em Lisboa.

Segundo apurou o PÚBLICO, os centristas vão aproveitar alguns projectos de resolução que têm entregado na Assembleia nos últimos meses - defendendo, por exemplo, a requalificação de algumas linhas de comboio -, adicionando o reforço do Metro de Lisboa, mas também do Metro do Porto. Também o Metro Mondego, há muitos anos no papel mas sempre adiado, será acrescentado nesse projecto.

Os centristas abrem, assim, o debate “projecto a projecto” dos investimentos da próxima década, mas acreditam que o Governo quer outro parceiro para os discutir: o PSD, único partido que poderá dar os dois terços de votos parlamentares que António Costa diz, agora, serem os ideais para que exista um consenso. Mas o CDS preferiu lançar agora o isco, aproveitando a campanha das autárquicas para mostrar trabalho - e promessas.