Actriz acusa Hollywood de racismo e revela que teve de mudar de nome para trabalhar

Chloé Wang, mais conhecida por Chloe Bennet, revelou que o seu apelido deixou Hollywood "desconfortável".

DR
Foto
DR

A actriz Chloe Bennet, que participa na série da Marvel Os Agentes S.H.I.E.L.D, acusou a indústria de Hollywood de ser “racista” revelando que teve de alterar o seu apelido para poder fazer carreira.

Chamada Chloé Wang, a actriz utilizou o Instagram para relatar a situação: “Hollywood é racista e não iria escolher-me com o meu último nome que os deixava desconfortáveis”. Estas revelações foram feitas em resposta a um seguidor da actriz na rede social que a questionou porque é que tinha alterado o seu nome.

Antes, Bennet havia publicado um elogio ao actor britânico Ed Skrein, recentemente anunciado como um dos nomes do elenco do remake do filme Hellboy, e que se afastou na segunda-feira do projecto após uma onda de contestação nas redes sociais. Em causa estava o facto de Skrein, um actor branco, ter sido escolhido para representar Ben Daimio, uma personagem de origem asiática.

Agora, o episódio que envolve Chloe Bennet acrescenta mais lume a uma polémica que envolve a preferência em Hollywood por actores brancos para interpretarem personagens asiáticas, negras ou de outras origens étnicas e até às acusações de racismo de que tem sido alvo a indústria cinematográfica e televisa.

Em 2016, por exemplo, a lista de nomeados para os Óscares incluiu apenas artistas brancos, motivando uma campanha de contestação nas redes sociais sob a etiqueta #OscarsSoWhite. É precisamente daquele ano a polémica em torno da escolha da actriz branca Tilda Swinton para interpretar uma personagem tibetana em Doutor Estranho. E um ano antes, a escolha de Emma Stone para representar outra personagem de ascendência asiática em Aloha também foi motivo de duras críticas, com o realizador Cameron Crowe a acabar por pedir desculpa pelo casting.

“Mudar o meu último nome não altera o facto de que o meu SANGUE é meio-chinês, que vivi na China, que falo mandarim ou que fui culturalmente educada como americana e chinesa… Significa que tenho de pagar a minha renda”, escreveu a actriz.

“Estou a fazer tudo o que posso, com a plataforma que tenho, para garantir que ninguém tenha de alterar o seu nome novamente para que possam ir trabalhar”, acrescentou.