Mensagens de ódio e racismo levam Al-Jazira a fechar secção de comentários

A emissora considera que a sua plataforma online foi "hackeada" por utilizadores que semeiam ódio e racismo através de comentários.

A Al-Jazira quer transportar o debate com o público para as redes sociais
Foto
A Al-Jazira quer transportar o debate com o público para as redes sociais Reuters/FADI AL-ASSAAD

A emissora televisiva Al-Jazira encerrou esta quarta-feira a secção de comentários no seu site após várias mensagens que estimulam o ódio e o racismo. Num editorial publicado na plataforma Medium, a emissora afirma que esta foi uma decisão que envolveu "muita reflexão" e que acreditam ser “a melhor para servir a audiência”.

A missão da Al-Jazira é dar voz àqueles que não a têm, e [a criação de] um debate saudável é uma parte crucial”, lê-se no editorial. Essa foi uma das razões que levou a emissora a criar um espaço de debate direccionado para os seus leitores.

Porém, o espaço para o debate “inteligente” e “ponderado” – como descrevem – foi “hackeado por utilizadores que se escondem atrás de pseudónimos”. Esses utilizadores “lançam ácido, geram ódio, racismo e secretismo”, o que para a emissora impossibilita a criação de um debate virtual.

A decisão surge numa altura em que, enquanto órgão de comunicação, a emissora considera que tem de avaliar as suas prioridades. “Sentimos que ao invés de abordarmos o problema com […] um exército de moderadores, os nossos recursos editoriais serão melhor utilizados através da criação de novos formatos que ressoem com o nosso público”, acrescenta a Al-Jazira.

No editorial, a emissora reconhece ainda que as redes sociais são a plataforma onde os seus leitores mais discutem os temas da actualidade. Dessa forma, a emissora encoraja o público para que continue a interagir através das redes sociais.

A Al-Jazira não é o primeiro órgão de comunicação a fechar as caixas de comentários, transportando o debate para as redes sociais. Órgãos de comunicação como a rádio norte-americana NPR, a emissora filipina ABS-CBN e o USA Today’s FTW (uma plataforma online do jornal norte-americano USA Today dedicado ao desporto), são alguns dos sites que já eliminaram as caixas de comentários. 

A emissora televisiva tem sido um ponto de discórdia entre os países do Golfo Pérsico que exigem que esta seja encerrada. A par da Arábia Saudita, dos Emirados Árabes Unidos, do Egipto e Bahrein, também Israel já anunciou que irá encerrar a emissora televisia.