Desemprego baixa para 9,1% em Junho e estabiliza em Julho

Estatística provisória para o mês de Julho aponta para taxa de desemprego igual à registada em Junho.

Foto
O desemprego em Junho ficou no valor mais baixo desde Novembro de 2008 Barbara Raquel Moreira

O nível de desemprego continuou a recuar em Junho, com a taxa a passar para 9,1% da população activa, o valor mais baixo desde Novembro de 2008. Para o mês seguinte, o Instituto Nacional de Estatística (INE) aponta, ainda numa projecção provisória, para uma estabilização da taxa nos 9,1%.

Em Junho, a população desempregada era de 468.900 pessoas, diminuindo “1,1% em relação ao mês precedente (menos 5200 pessoas)”. Dos quase 470 mil desempregados, 226.300 são homens, 242.600 são mulheres. Já a população empregada foi estimada pelo INE nos 4,68 milhões de pessoas, aumentando 0,2% (em 8500 pessoas) em relação ao mês anterior.

Há um mês, a primeira estimativa do INE para a taxa de desemprego de Junho foi de 9%, mas o valor foi agora revisto em alta, para os 9,1%. Os dados do desemprego mensal do INE são ajustados de sazonalidade e têm como universo estatístico a população dos 15 aos 74 anos, não podendo ser directamente comparáveis com as estatísticas trimestrais do desemprego.

A taxa de Junho “diminuiu 0,1 pontos percentuais em relação ao mês anterior e 0,6 pontos percentuais face a três meses antes”. Entre os jovens (a população dos 15 aos 24 anos), a taxa de desemprego é de 23,7%. Baixou 0,1 pontos, na mesma proporção da taxa de desemprego global. Mas o valor provisório para o mês de Julho aponta-se para uma subida de 0,1 pontos, para os 23,8%.

Na estimativa não ajustada da sazonalidade, o desemprego total foi de 8,7% em Junho, “tendo diminuído 0,3 pontos percentuais face ao mês anterior” e baixando 1,9 pontos face a Junho do ano passado. A trajectória de decréscimos homólogos, refere o INE, acontece desde Agosto de 2013. “A diminuição mensal da taxa de desemprego foi acompanhada pelo decréscimo da população desempregada (2,5%; 11,5 mil) e pelo acréscimo da população empregada (0,6%; 26,7 mil)”.