Mais um inquérito às viagens a convite, desta vez no MAI

Saúde, Administração Interna, Finanças e Ministério Público já estão a investigar viagens à China e aos EUA.

Foto
Constança Urbano de Sousa pediu um inquérito às viagens LUSA/MÁRIO CRUZ

Já são três as averigações em curso por causa de viagens feitas por funcionários de serviços públicos à China e aos EUA e pagas por empresas privadas. Depois do ministro da Saúde e da Autoridade Tributária e Aduaneira, também o Ministério da Administração Interna determinou uma investigação.

"Na sequência das notícias vindas a público sobre a alegada participação de um funcionário da Secretaria-Geral da Administração Interna num evento, nos Estados Unidos da América, financiado por uma empresa privada, a ministra da Administração Interna determinou à Inspecção-Geral da Administração Interna a abertura de um inquérito com vista ao apuramento de todas as circunstâncias relativas a tal participação", lê-se em comunicado.

Constança Urbano de Sousa determinou ainda que o inquérito, que deverá estar concluído no prazo de 30 dias, "seja alargado às viagens pagas por entidades privadas a funcionários de todos os serviços tutelados pelo Ministério da Administração Interna".

Recorde-se que o caso já está a ser investigado pela Procuradoria-Geral da República (PGR). O Ministério Público enviou para o DIAP alguns "elementos" sobre as viagens à China, à fábrica da Huawei, oferecidas pela NOS a altos quadros do Estado e encontra-se a "recolher elementos" sobre as viagens que terão sido pagas pela empresa Oracle, informou a PGR.