CP reabre serviço de passageiros para Elvas e Badajoz com automotora dos anos 50

Ligação diária do Entroncamento a Badajoz foi reiniciada esta terça-feira com automotora das mais velhas da frota da CP. Na linha do Oeste as avarias com este material são quase diárias.

Na Linha do Oeste as automotoras Allan 350 avariam constantemente
Foto
Na Linha do Oeste as automotoras Allan 350 avariam constantemente res rita chantre

A CP reabriu esta terça-feira o serviço de passageiros na linha do Leste, dando assim cumprimento a uma resolução unânime da Assembleia da República datada de Janeiro de 2016. Fê-lo discretamente, sem aviso prévio, e o material utilizado nesta ligação de ida e volta entre Entroncamento e Badajoz augura expectativas pouco optimistas para a fiabilidade do serviço.

A automotora Allan que está afecta a esta ligação faz parte de uma série que foi comprada pela CP nos anos 50 do século passado, ainda ao abrigo do Plano Marshall, a uma empresa holandesa. A caminho dos 70 anos, estas automotoras já foram remotorizadas, já sofreram várias modernizações, mas ultrapassaram já o limite do seu tempo de serviço, pelo que avariam constantemente.

Na linha do Oeste, onde estas automotoras circulam, as supressões são quase diárias e a empresa é obrigada a fazer transbordos rodoviários dos passageiros. Só que a CP não tem outro material. Mesmo as automotoras UDD, que são ligeiramente mais recentes do que as Allan, sofrem também constantes avarias, tal como se tem verificado na linha do Oeste e no troço Casa Branca – Beja, onde os passageiros do Intercidades para o Alentejo já foram também obrigados a transbordo rodoviário devido à avaria das automotoras.

Manuela Cunha, dirigente nacional de Os Verdes, que negociou com o governo a abertura da linha do Leste, disse ao PÚBLICO que o seu partido vai insistir com a tutela para que se abra rapidamente um concurso público para a compra de material circulante para a CP.

A reabertura da ligação foi apenas alvo de um lacónico comunicado da transportadora pública, divulgado esta quinta-feira, e nem sequer consta no pesquisador de horários online da CP. Manuela Cunha, que hoje fez a viagem até Elvas, diz que esta foi “uma espécie de abertura do serviço envergonhado, talvez para evitar manifestações de apreço”. Mas, contou, essas manifestações existiram pois houve pessoas que foram às estações “ver e dizer adeus ao comboio”.

O Raiano, como a CP denomina este novo serviço, sai às 10h12 do Entroncamento e chega a Badajoz às 13h26 (14h16 na hora espanhola). No regresso, sai daquela cidade às 15h24 (16h24 na hora de Espanha), passa por Elvas às 15h48 e chega ao Entroncamento às 18h25.

A ligação ao Intercidades para Coimbra, Aveiro e Porto é às 18h31, permitindo assim – se não houver atrasos nem supressões – viajar entre Elvas e a Invicta em  4 horas e 51 minutos, tornando a ligação ferroviária mais rápida do que a Rede de Expressos porque esta última obriga a um transbordo em Lisboa. No sentido inverso, há um Alfa Pendular que pára no Entroncamento às 9h38 e que dá ligação ao comboio para o Leste às 10h12.