PJ já deteve 81 suspeitos de incêndio desde o início do ano

Três pessoas foram detidas nos últimos dias, anunciou a Judiciária.

Foto
Daniel Rocha

Três pessoas foram detidas nos últimos dias por suspeita de incêndio florestal, anunciou esta segunda-feira a Polícia Judiciária (PJ). Em comunicado, a PJ detalha que uma mulher foi detida em Celorico de Basto, distrito de Braga, um homem foi detido em Vimioso, no distrito de Bragança, e um outro homem foi detido em Ferreira do Zêzere.

No caso de Celorico de Basto, o fogo “foi extinto logo no seu início por ocupantes de uma viatura que […] circulava na estrada onde se iniciava o incêndio”, lê-se no comunicado. A extinção do incêndio evitou a sua propagação para uma área florestal, “com casas de habitação próximas”, incluindo “a casa onde a suspeitar vive com a sua família”, acrescenta a PJ.

A suspeita já foi presente às autoridades, estando obrigada a submeter-se a tratamento psiquiátrico e a apresentações diárias no posto policial da sua área de residência.

No caso de Vimioso, o incêndio que deflagrou no dia 26 de Agosto na freguesia de Avelanoso “consumiu uma área de mancha florestal, constituída maioritariamente por pinheiro bravo, castanheiro e mato”, avança a PJ em comunicado. O suspeito, um homem de 49 anos, vai ser presente às autoridades competentes para a aplicação das medidas de coacção.

Já em Ferreira de Zêzere, o incêndio que deflagrou a 24 de Agosto consumiu “terrenos com mato arbóreo e arbustivo”, próximo de várias zonas habitacionais.

O suspeito terá actuado num quadro de alcoolismo, tendo recorrido a um isqueiro para atear o incêndio. No comunicado, a PJ avança que a sua propagação foi evitada devido “à pronta intervenção de populares e de bombeiros”.

O homem foi presente a primeiro interrogatório, estando obrigado a apresentações diárias no posto policial da sua área de residência. 

Desde o início deste ano, já foram detidas e identificadas 81 pessoas pelo crime de incêndio florestal, dez das quais eram mulheres.