Torne-se perito

Kendrick Lamar triunfa nos MTV Video Music Awards

Rapper venceu seis prémios. Ed Sheeran distinguido como melhor artista do ano.

Fotogaleria
Kendrick Lamar venceu seis prémios Reuters/DANNY MOLOSHOK
Fotogaleria
Reuters/MARIO ANZUONI
Fotogaleria
Reuters/MARIO ANZUONI
Fotogaleria
Ed Sheeran foi considerado o artista do ano Reuters/MARIO ANZUONI
Fotogaleria
O momento mais emocionante da noite foi protagonizado por Susan Bro, a mãe da jovem que foi assassinada há duas semanas em Charlottesville Reuters/MARIO ANZUONI

O rapper norte-americano Kendrick Lamar triunfou nos MTV Video Music Awards, que se realizaram no domingo em Los Angeles, nos Estados Unidos, conquistando seis estatuetas, incluindo a de melhor videoclip do ano, com o tema Humble.

Lamar conquistou também os prémios para melhores efeitos especiais, melhor direcção artística, melhor realização, melhor fotografia e melhor vídeo de hip-hop, todos eles por Humble.

Dos ‘grandes’ apenas lhe faltou o galardão conquistado pelo britânico Ed Sheeran, para melhor artista do ano, uma das novidades desta edição, já que pela primeira vez nos MTV Video Music Awards os homens e as mulheres não são separados em categorias diferentes.

Khalid conquistou o prémio de melhor novo artista, Zayn e Taylor Swift o galardão de melhor colaboração em I don't wanna live forever, Kanye West foi reconhecido pela melhor coreografia em Fade, e Zedd e Alessia Cara destacaram-se na categoria de melhor vídeo de dança, com Stay.

Fifth Harmony e Gucci Mane venceram na categoria de melhor vídeo pop com Down, enquanto Lil Uzi Vert conquistou o prémio de melhor canção do verão com XO Tour Llif3, ao derrotar o remix Despacito, de Luis Fonsi, Daddy Yankee e Justin Bieber.

A cerimónia dedicou também tempo à delicada situação do país, com Paris Jackson a apelar que se mostrasse “aos idiotas nazis e supremacistas brancos” que nos Estados Unidos não há lugar para “a sua violência, o seu ódio e a sua discriminação”.

O momento mais emocionante da noite foi protagonizado por Susan Bro, a mãe da jovem que foi assassinada há duas semanas em Charlottesville quando um neonazi investiu o seu carro contra um grupo de pessoas que protestavam contra os supremacistas brancos.

“Há apenas 15 dias a minha filha Heather (Heyer) foi assassinada quando protestava contra o racismo. Sinto a falta dela, mas sei que está aqui hoje”, afirmou.

Sugerir correcção