Sexo telecinético com estrelas da pornografia? Sim, podemos

O PornHub, o maior site do mundo no segmento do entretenimento para adultos, lançou uma funcionalidade que liga a acção dos vídeos a brinquedos sexuais. Sem fios.

Foto
A tecnologia não é nova, mas é a primeira vez que um grande site a disponibiliza de graça Paulo Pimenta

Não é exactamente aquela cena do Homem Demolidor em que a personagem jovial de Sandra Bullock convida um desorientado Sylvester Stallone para uma noite de sexo sem “transferência de fluídos” — “Uh!...” — e lhe põe sobre a cabeça um capacete que produz “ondas alfa elevadas” para dar início ao gozo partilhado (vídeo abaixo). Mas também não estamos em 2032. Ainda. Para já, é possível pôr brinquedos sexuais a acompanhar a narrativa de vídeos pornográficos e fingir que fazemos parte da acção. Uma espécie de cinema 4DX, mas no recato do lar.

A cortesia é do PornHub, o gigante da pornografia online e um dos sites mais populares do planeta, que lançou no final de Junho uma nova categoria de vídeos – “interactiva”. O termo mais correcto, em linguagem contemporânea, seria “imersiva”. Oferece umas “centenas” de vídeos que podem ser sincronizados com objectos eróticos. O comunicado da empresa dá um exemplo: “se numa cena se está a fazer sexo oral, será gerada e instantaneamente transmitida uma sensação para o brinquedo sexual interactivo e sem fios do utilizador, providenciando-lhe e-prazer, amabilidade da sua estrela pornográfica preferida”.

Há um par de problemas que o PornHub promete resolver “num futuro próximo”, à medida que a nova categoria se for consolidando: estes vídeos só funcionam com o Kiiroo Onyx e o Fleshlight Launch, dois objectos criados para deleite dos homens. Ou seja, não só a escolha é reduzida como num primeiro momento as mulheres são negligenciadas. Mais tarde, poderão experimentar a interactividade com o OhMiBod, o We-Vibe, o Lovense Lush e o Kiiroo Pearl. Falta dizer que é preciso um smartphone onde instalar a app que permite que tudo funcione.

É a primeira vez que um grande site disponibiliza esta tecnologia de forma gratuita, mas ela não é nova nem é a única inovação do género na indústria do entretenimento para adultos. A realidade virtual e tecnologias imersivas como a “teledildónica” – que permite o controlo de brinquedos sexuais à distância entre mais do que uma pessoa – “tomaram rapidamente a indústria de assalto e conquistaram” o público, frisa Corey Price, vice-presidente do PornHub, na mesma nota.

A rubrica Tecnologia encontra-se publicada no P2, caderno de Domingo do PÚBLICO