Torne-se perito

Começa o congresso em que as FARC se transformam num partido político

"Vamos transformar-nos num novo grupo, exclusivamente político e que vai realizar as suas actividades por meios legais", disse Rodrigo Londoño.

Foto
Rodrigo Londoño abrou o congresso Jaime Saldarriaga/Reuters

O grupo guerrilheiro de esquerda da Colômbia FARC vai apresentar no seu congresso o partido político em que se vai converter. O encontro de seis dias começa este domingo em Bogotá e nele o grupo vai dizer qual é a plataforma com que fará campanha para as eleições legislativas de 2018. 

Os membros das FARC entregaram mais de oito mil armas às Nações Unidas durnate o período de desmobilização que se seguiu à histórica assinatura da paz com o Governo.

Como previsto no acordo de 2016, que pôs fim a um conflito que matou mais de 220 mil pessoas, a maior parte dos combatentes da guerrilha de inspiração marxista conseguiram uma amnistia e foi-lhes permitido criar um partido político.

O acordo foi inicialmente rejeitado em referendo por uma margem de 1% e teve que ser modificado. Garante ao partido que sair do congresso, o último das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, dez lugares no Congresso até 2026, além de outros que possa vir a conquistar em eleições.

"A partir deste congresso, vamos transformar-nos num novo grupo, exclusivamente político e que vai realizar as suas actividades por meios legais", disse na abertura dos trabalhos o líder das FARC, Rodrigo Londono, cujo nome de guerra era Timochenko.

Muitos dos delegados usaram T-shirts a dizer "Um novo partido para um novo país".

A Colômbia realiza eleições legislativas e presidenciais em 2018.

Sugerir correcção