Incêndios: Proença-a-Nova inicia cadastro florestal

A criação deste gabinete vai permitir tomar medidas "imediatas" para proteger a floresta, diz o autarca.

Foto
LUSA/ANTÓNIO JOSÉ

A Câmara Municipal de Proença-a-Nova vai criar um gabinete dedicado ao cadastro florestal e admite incluir, no próximo orçamento, o projecto de criação de um fundo destinado à gestão de combustível nos perímetros urbanos, foi anunciado esta sexta-feira.

As medidas foram comunicadas pelo presidente da autarquia de Proença-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, João Lobo, na última sessão pública da reunião camarária realizada no auditório Mariano Gago, no Centro Ciência Viva da Floresta.

O município refere, em nota enviada à agência Lusa, que a criação do gabinete dedicado ao cadastro florestal enquadra-se "no conjunto de medidas de acção imediata para trabalhar em prol da floresta". "Há aqui um exercício novo de programação da floresta que exige medidas que sejam fortes", segundo João Lobo. Proença-a-Nova faz parte do conjunto de municípios que irá iniciar o processo de cadastro predial, uma medida aprovada na Lei nº78/2017 de 17 de Agosto.

A nota indica que a vereadora Margarida Cristóvão, que colaborou na elaboração da proposta de trabalho na Unidade de Missão para a Valorização do Interior, explicou que será criada uma plataforma onde qualquer cidadão poderá fazer o cadastro da sua propriedade, gratuito durante dois anos, passando a existir um número único de identificação do prédio rústico.

"A ideia é ter um registo simplificado, onde qualquer cidadão pode fazer o cadastro que depois será validado pelas autoridades competentes", segundo a autarca, citada no documento.

Na mesma reunião, o presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova apresentou também a proposta, a ser eventualmente incluída em próximo orçamento, para a criação de um fundo destinado à gestão de combustível nos perímetros urbanos.

"Este fundo será articulado e trabalhado com as Juntas de Freguesia e as associações do concelho, parceiras essenciais para se implementar e mudar também atitudes na sociedade", referiu João Lobo. O autarca prevê que deste esforço resultará "a potenciação da prevenção e combate aos incêndios florestais".

Na procura de medidas que dêem resposta à situação anómala de incêndios florestais, o autarca anunciou ainda a criação de parques para recepção de madeiras, um deles no Parque Empresarial, "para que não se pratiquem valores abaixo do preço de mercado e não haver aproveitamento da tragédia dos incêndios".

Na reunião do executivo de Proença-a-Nova, o vereador do PSD, Jorge Tomé, reforçou a necessidade de as florestas serem reordenadas com espécies diferentes para que "a perda de vidas e os prejuízos não se continuem a verificar", uma opinião corroborada pelos restantes vereadores, segundo a autarquia.

Sugerir correcção