Facebook dá mais destaque à fonte das notícias

Logótipos maiores vão ajudar os leitores a identificar a origem da informação partilhada. Zuckerberg quer acabar com o "li no Facebook".

Fotogaleria
As novidades fazem parte do projecto de jornalismo do Facebook Reuters/CARLOS BARRIA
Fotogaleria
A actualização dá mais ênfase ao logótipo da organização noticiosa Facebook

O Facebook quer aumentar a noção que as pessoas têm sobre a origem da informação que lêem na rede social, e ajudar os sites a conseguirem assinantes. Uma nova actualização – lançada esta semana – dá mais ênfase ao logótipo do órgão de comunicação nas notícias partilhadas na rede social, especialmente na lista de artigos populares (trending news, em inglês). 

O objectivo é acabar com o fenómeno de pessoas que respondem “li no Facebook”, quando questionadas sobre a origem da informação que citam. Um estudo do Pew Research Centre nota que 44% dos inquiridos não se lembra da origem dos artigos que viram em redes sociais.

“Queremos ajudar mais pessoas a perceber de onde é que vem a informação que lêem”, explicou Mark Zuckerberg num texto publicado esta quarta-feira. A novidade faz parte do Facebook Journalism Project, uma iniciativa lançada em Janeiro para combater a proliferação de notícias falsas na plataforma.

A rede social tem estado sob pressão desde que o tema das notícias falsas ganhou relevo na sequência do referendo britânico e das eleições presidenciais norte-americanas em 2016. Vários analistas a concluíram que a divulgação e proliferação de rumores e notícias falsas nas redes sociais contribuíram para o resultado.

Zuckerberg acentua, porém, que o Facebook também está a explorar novas formas de financiar o trabalho dos jornalistas. Com as actualizações lançadas esta semana, vai ser possível fazer assinaturas de órgãos noticiosos através dos Instant Articles (a plataforma do Facebook para publicar directamente conteúdos noticiosos na rede social) sem que o Facebook ganhe dinheiro com isso. “O dinheiro vai directamente aos órgãos noticiosos que trabalharam para descobrir a verdade, e o Facebook não recebe uma parte”, sublinhou Zuckerberg.

A mudança deve trazer alguns órgãos noticiosos de volta aos Instant Articles. Vários jornais e revistas internacionais – como a Forbes, o New York Times e o Wall Street Journal – abandonaram o formato porque estavam a perder dinheiro sem conseguir aumentar o número de leitores.