Supermercado alemão “limpa” produtos estrangeiros das prateleiras para combater xenofobia

Campanha durou um dia e pretendeu mostrar como ficariam os supermercados, se fossem compostos só por produtos nacionais.

Foto
Só com produtos alemães, os supermercados teriam muito menos para oferecer DR/Facebook

Tomate espanhol, azeitonas gregas, pizzas italianas, chocolate belga ou queijo francês. Todos os produtos que não são produzidos na Alemanha foram retirados das prateleiras de um supermercado da cadeia alemã Edeka, na cidade de Hamburgo. O resultado foram corredores de prateleiras vazios. No seu lugar foram colocados mensagens que lembram a presença e a importância da diversidade no quotidiano, numa campanha que tomou forma no último sábado.

“Esta prateleira seria bastante aborrecida sem diversidade”, lê-se numa das mensagens. “É assim que uma prateleira é sem [produtos] estrangeiros”, refere outra das legendas que preenche o vazio deixado pela ausência de produtos não alemães. “Sem diversidade seremos assim tão pobres”, resume a campanha que pretende lutar contra o racismo e a xenofobia.

Com esta iniciativa, o supermercado quis sensibilizar os clientes para a importância da diversidade e ilustrar quão mais limitadas ficam as suas escolhas com uma simples ida ao supermercado.

A campanha recebeu reacções muito positivas nas redes sociais e gerou vários elogios e partilhas. No entanto, houve quem também considerasse que não cabe aos supermercados tomar uma posição política.

Uma porta-voz da cadeia de supermercados citada pela imprensa alemã diz que a empresa recebeu "reacções muito positivas" à campanha. "O [grupo] Edeka apoia a variedade e diversidade. Nas nossas lojas vendemos numerosos produtos que são desenvolvidos em várias regiões da Alemanha. Mas apenas juntamente com os produtos de outros países é possível criar uma diversidade única que os nossos consumidores valorizam", destaca.

A campanha surge em véspera da ida do país às urnas para as eleições federais, numa altura em que a imigração marca a agenda política e em que ecoam discursos xenófobos e racistas em reacção ao crescimento do número de imigrantes e refugiados que procuram abrigo nos países europeus, incluindo na Alemanha.