Cuidados a ter com o eclipse solar

Um eclipse do Sol suscita costuma suscitar a nossa curiosidade e põe-nos a olhar para o céu. Mas, cuidado, porque há um conjunto de regras a cumprir para não ser perigoso.

Visualização de um eclipse solar parcial junto às instalações do Planetário do Porto em 2015
Foto
Observação de um eclipse solar parcial junto às instalações do Planetário do Porto em 2015 Fernando Veludo/NFACTOS

- Não observe directamente o Sol sem filtros solares oculares (óculos para eclipses);

- Deve comprar óculos para eclipses vendidos em lojas de material astronómico ou em revistas de astronomia;

- Caso não tenha óculos para eclipses, pode fazer uma projecção usando uma folha de papel com furos: faça um pequeno furo numa cartolina preta e coloque-a sobre uma folha branca, para que a imagem do Sol seja projectada (este é um dos exemplos);

- Nunca use filtros solares oculares já utilizados ou que estejam guardados sem os testar primeiro;

- Nunca utilize óculos para eclipses na ocular de aparelhos ópticos, como binóculos, câmaras fotográficas ou telescópios;

- Não observe o Sol com radiografias, vidro fumado, filme fotográfico, antigas disquetes, CD, óculos escuros ou folhas de alumínio;

- Não observe continuamente o Sol por períodos superiores a 30 segundos, mesmo com filtros solares oculares. Deve fazer intervalos de três minutos de descanso para que a acumulação de calor na retina seja evitada;

- Se sentir sintomas, como a visão enevoada, o aparecimento de imagem persistente ou de uma área negra à frente do olho, deve consultar um oftalmologista.