Domingo, mais um dia negro no combate aos fogos

Mais de 4200 operacionais, apoiados por 1196 meios terrestres e 27 meios aéreos estavam a combater 114 incêndios.

Foto
Sergio Azenha (colaborador)

Domingo foi mais um dia intenso de combate aos incêndios, que lavram ininterruptamente há mais de dois meses, especialmente no Centro e Norte do país. Às 19h40, o site da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) dava conta de que mais de 4200 operacionais, apoiados por 1196 meios terrestres e 27 meios aéreos estavam a combater 114 incêndios pelo país, sendo que 13 eram considerados significativos.

Dois incêndios que atingiam às 17h o concelho de Resende, Viseu, obrigaram à activação dos planos distrital e municipal de emergência e protecção civil.

Já em Pião, a quatro quilómetros da Covilhã, teve de ser evacuado o parque de campismo na sequência de um incêndio florestal que começou naquele concelho no sábado. Oitenta pessoas tiveram de ser deslocadas para a Covilhã. Neste incêndio foram também evacuadas 15 pessoas em Casal da Serra.

Luís Santos, presidente da Junta de Freguesia de Cortes do Meio, disse à Lusa não ter dúvidas de que se está perante um fogo posto.

Na localidade de Parada do Pinhão, concelho de Saborosa, a auto-estrada 4 (A4) teve de ser cortada nos dois sentidos devido aos incêndios no distrito de Vila Real.

Na actualização feita às 19h por Patricia Gaspar, da ANPC, foi revelado que até ao momento 79 pessoas tiveram de ser assistidas nos teatros de operações, 114 tiveram de ser assistidas em hospitais e oito encontram-se internadas em estado grave embora não corram risco de vida.

Também neste domingo, a GNR revelou em comunicado ter detido no sábado um homem, de 78 anos, quando ateava um fogo no Parque Natural Sintra-Cascais.

Após a detenção, adianta a GNR, “o idoso confirmou a autoria do crime de incêndio, acrescentando que já era a quinta vez que tentava colocar fogo naquela zona do parque natural”, tendo sido encontradas provas do crime no seu veículo.

Quando foi constituído arguido, o suspeito cometeu mais um crime de corrupção activa na forma tentada, ao tentar oferecer “230 euros em dinheiro aos elementos da GNR para o libertar”.

O detido será presente nesta segunda-feira a tribunal para primeiro interrogatório judicial.Com Lusa