Os Defensores: os heróis da Marvel agora lutam juntos

Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro juntam-se para lutar contra a Mão e Sigourney Weaver. Os oito episódio de Os Defensores, nova série da Marvel no Netflix, ficaram disponíveis esta sexta-feira.

Fotogaleria
Sigourney Weaver é Alexandra, uma sofisticada vilã e agente do crime DR
Fotogaleria
Luke Cage e Punho de Ferro a mostrarem o que valem DR
Fotogaleria
Jessica Jones, Punho de Ferro, Demolidor e Luke Cage, os Defensores juntos num elevador DR
Fotogaleria
Matt Murdock, o advogado que é a verdadeira identidade de Demolidor, fala com Jessica Jones DR

Demolidor (ou Daredevil), Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro (ou Iron Fist) entram num restaurante em Nova Iorque. Cada um deles tem com os outros diferentes graus de intimidade – no máximo, tiveram uma relação amorosa ou já lutaram, no mínimo, acabaram de se conhecer. Todos heróis a solo, apenas com parcerias ocasionais, decidem juntar-se para combater a Mão, uma organização centenária que controla os destinos do crime há muitos anos. Nenhum está particularmente entusiasmado com isso, foi só algo que aconteceu.

É essa a premissa da nova minissérie do Netflix, cujos oito episódios estão disponíveis desde esta sexta-feira: Os Defensores (ou The Defenders, aliás, Marvel’s The Defenders). É a quinta série Marvel do serviço de streaming e segue-se às séries a solo de todos os seus protagonistas: Demolidor já teve duas temporadas, com uma terceira a caminho, provavelmente no ano que vem, as segundas épocas de Jessica Jones e Luke Cage têm também estreia marcada para 2018 e Punho de Ferro provavelmente chegará um pouco depois disso (não que haja assim tanta gente desesperada por vê-la).

Super-heróis que se juntam para combater algo que não conseguiriam destronar sozinhos – apesar de Demolidor e Punho de Ferro, em particular, terem combatido a Mão antes – não é nada de novo no universo Marvel. No cinema, o terceiro capítulo de Os Vingadores, que junta heróis como Hulk, Homem de Ferro, Capitão América, Thor ou Viúva Negra, entre muitos outros, chega para o ano que vem. Só que aqui a escala é diferente, com menos cenas cheias de acção e efeitos especiais e mais foco nas emoções e nas lutas corpo-a-corpo – uma das melhores partes de Demolidor e um dos inúmeros pontos fracos de Punho de Ferro.

A série tem Charlie Cox como Demolidor, um advogado cego de Hell's Kitchen que é um mestre das artes marciais; Krysten Ritter como Jessica Jones, também de Hell's Kitchen, uma super-heroína transformada em detective que tem força sobre-humana e consegue voar (e que passou uma temporada da sua série a lidar com stress pós-traumático e um vilão aterrador e sexista); Mike Colter como Luke Cage, do Harlem, um homem indestrutível que também tem uma força sobre-humana e apareceu pela primeira vez em Jessica Jones; e Finn Jones – uma escolha de casting que trouxe bastante polémica, pela preferência de um actor branco britânico que mal sabe lutar em detrimento de um intérprete de origem asiática – como Punho de Ferro, um multimilionário de Manhattan que treinou artes marciais e tem o poder de dar murros ultra-poderosos.

Além dos actores que dão corpo aos heróis, um dos maiores motivos de interesse é a maior vilã da série – ou, pelo menos, dos primeiros quatro episódios que foram disponibilizados à imprensa antes da estreia; já aconteceu, neste mundo Marvel/Netflix, o vilão mudar a meio –, interpretada por Sigourney Weaver. A Ripley de Alien faz de Alexandra, uma sofisticada cabecilha do crime nova-iorquino que se vende ao mundo como uma poderosa mulher de negócios. 

Há também nomes e caras que já apareceram nas outras séries: Élodie Yung como Elektra, Wai Ching Ho como Gao, cara recorrente da Mão, Rosario Dawson como Claire Temple, a enfermeira que é o maior elo de ligação entre as histórias de todos os heróis Marvel/Netflix, Jessica Henwick como Colleen Wing, ex-agente da Mão e especialista em artes marciais que aparece sempre ao lado do Punho de Ferro, ou Scott Glenn como Stick, que treinou Demolidor e Elektra, entre outros, surgem por estes lados.

Os Defensores baseia-se na equipa que começou na banda-desenhada em 1971, escrita por Roy Thomas, Na altura, o grupo era liderado pelo Doutor Estranho, que teve direito a um filme no ano passado, e incluía Hulk, que já pertence aos Vingadores, Namor, e o Surfista Prateado, que já apareceu num filme do Quarteto Fantástico e que Stan Lee, o co-criador dessa e de várias personagens que é uma das figuras-chave da Marvel, quer que tenha o seu próprio filme a solo. Na passagem para o Netflix, o elenco mudou.

Douglas Petrie e Marco Ramirez, que vêm de Demolidor, cuja segunda temporada foi feita com ambos aos comandos, são criadores de Os Defensores e foram os responsáveis por encontrar elos em comum entre as outras séries que têm tons diferentes e ideias diferentes. Petrie é um veterano da televisão, tendo trabalhado com Joss Whedon, o responsável pelos dois filmes da saga Os Vingadores em séries como Buffy, Caçadora de Vampiros ou Angel; estreou-se no mundo de adaptações Marvel (mas não em filmes dos estúdios Marvel) a escrever Quarteto Fantástico, de 2005. Já Ramirez escreveu para séries como Sons of Anarchy, Orange is the New Black, Da Vinci’s Demons ou Fear the Walking Dead.