Portugal espera arrecadar até 1000 milhões de euros em dívida de curto prazo

O país regressa aos mercados esta quarta-feira.

Foto
Nuno Ferreira Santos

Portugal volta esta quarta-feira aos mercados para a emissão de até 1000 milhões de euros em dívida de curto prazo, com uma linha de Bilhetes do Tesouro a três meses e outra a 11 meses. Segundo um comunicado emitido na passada sexta-feira pela Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP), decorrem dois leilões das linhas de Bilhetes do Tesouro "com maturidades em 17 de Novembro de 2017 e 20 de Julho de 2018", respectivamente.

A agência que gere a dívida pública portuguesa espera arrecadar com este leilão duplo "um montante indicativo global entre 750 milhões e 1000 milhões de euros".

A última emissão de Bilhetes do Tesouro a três meses foi realizada em Junho deste ano, quando foram colocados 250 milhões de euros a uma taxa de juro média de -0,337%.

No mesmo mês foi também feita uma emissão de Bilhetes do Tesouro a 11 meses, tendo sido colocados 1000 milhões de euros com um juro médio de -0,264%.

Estes leilões estão previstos no programa de financiamento a curto prazo do IGCP para o terceiro trimestre deste ano, período em que a agência liderada por Cristina Casalinho espera arrecadar 4.500 milhões de euros em bilhetes do tesouro.