Homem suspeito de matar mãe e irmã enquanto dormiam

Duplo homicídio em Santana, uma pequena cidade no interior da Madeira, provocou ainda um ferido grave – o pai do suspeito.

Questões relacionadas com heranças estarão na origem dos crimes
Foto
Questões relacionadas com heranças estarão na origem dos crimes miguel manso

Um homem de 51 anos foi detido durante a madrugada deste sábado por suspeitas da morte da mãe e da irmã, com uma arma de fogo, em Santana, na Madeira, referiu fonte dos bombeiros locais. A Polícia Judiciária não confirma, porém, a detenção. 

O suspeito terá disparado com uma caçadeira sobre as vítimas, enquanto dormiam, tendo ainda atingido o pai, de 78 anos, que se encontra internado em estado crítico na Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Dr. Nélio Mendonça.

O crime aconteceu por volta da meia-noite, próximo do centro daquela pequena cidade, no sítio Queimadas e Fontes, e foi descoberto pelo irmão mais novo do suspeito que, quando chegou a casa, deparou-se com os homicídios.

Foi mobilizado um forte contingente policial, inclusive dos concelhos vizinhos, tendo os Bombeiros Voluntários de Santana (BVS) entrado em casa com o apoio da PSP. “Na altura, não sabíamos onde estava o suspeito ou se estava armado”, explicou ao PÚBLICO o comandante da corporação, José António Freitas, confirmando que as três vítimas estavam deitadas na cama, e foram atingidas na face.

“O mais velho [o pai] foi transportado de urgência para o hospital em estado muito grave, mas as duas senhoras já não apresentavam sinais de vida”, acrescentou a mesma fonte, segundo a qual o suspeito seria detido pouco depois, num bar, nas imediações do local. Não terá oferecido resistência, diz, e estava desarmado.

As vítimas (a mãe tem 74 anos e a irmã do suspeito, 53) estavam na Madeira a passar férias, de onde são naturais. De acordo com o presidente da Junta de Freguesia de Santana, o casal, pais do suspeito, vive e trabalha em França juntamente com o filho que descobriu o crime, e a filha reside no Algarve, onde a família tem interesses empresariais.

O suspeito é o único que residia na Madeira, onde a família todos os anos, em Agosto, se reunia, a pretexto das Festas da Freguesia. “A senhora era muito devota, e todos os anos marcava presença nas festas, e era hábito contribuir financeiramente para a organização”, contou José António Freitas, que reside junto à casa onde ocorreram os crimes.

O caso está nas mãos da Polícia Judiciária, que remeteu mais informações para segunda-feira.

Este foi o quinto crime de homicídio (num total de seis vítimas) ocorrido este ano na Madeira, e o segundo envolvendo armas de fogo.

Notícia corrigida às 13h45. A informação inicial de que as vítimas eram irmã e sobrinha estava errada