O dia em que Mourinho reencontra o Real, Zidane e Ronaldo

Treinador português do Manchester United diz estar tranquilo com o passado em Madrid, mas aproveita Bale para beliscar o adversário na véspera da Supertaça europeia

José Mourinho falou sobre a sua passagem pelo Real Madrid
Foto
José Mourinho falou sobre a sua passagem pelo Real Madrid LUSA/BORIS STREUBEL

Foi pela mão de José Mourinho que Zinedine Zidane regressou ao Real Madrid, em Novembro de 2010. Foi primeiro “conselheiro especial” do treinador português, assumindo depois o cargo de director desportivo. A convivência entre duas personalidades tão distintas acabou mal e a corda partiu para o lado do sadino, que abandonou os “blancos” em Maio de 2013. Quatro anos depois, aos comandos do Manchester United, reencontra a sua ex-equipa e o francês para discutir a Supertaça europeia. Uma partida que pode servir para uma reconciliação com o passado

Entre as muitas “guerras” que Mourinho protagonizou no Real Madrid, foram particularmente difíceis de digerir para o técnico setubalense os desencontros com o seu compatriota Cristiano Ronaldo e com outros elementos-chave da equipa e líderes do balneário, como Iker Casillas. Mas aquela que terá sido encarada como a maior traição para o “Special One” envolveu Zidane.

Proposto por Mourinho para render o anterior director-geral Jorge Valdano, que abandonou o clube em colisão com o técnico, a relação entre os dois também foi azedando. O português não terá perdoado a falta de apoio público do antigo médio, numa altura em que era acossado pela crítica e perdia dramaticamente apoios no balneário. A saída tornou-se inevitável.

Desde então, José Mourinho manteve um relativo silêncio em relação à etapa madrilena da sua carreira. Até esta segunda-feira. “Saí e para vocês [jornalistas] tem sido difícil terem palavras minhas [sobre o Real Madrid]. Nunca falei muito, não chorei e não pedi nada que não me tivessem dado. Fui-me de Madrid com a tranquilidade de ter dado tudo. Saí sem vontade de lavar roupa suja, não falei deste ou daquele, de um caso ou de outro. Saí com espírito de paz e com a tranquilidade de poder dizer que dei mais do que alguma vez o tinha feito. Em Madrid eu dei tudo”, garantiu na antevisão da Supertaça europeia.

Não são propriamente palavras belicosas, mas o português não resistiu, ao seu estilo, a uma ligeira provocação ao Real e a Zidane, envolvendo Gareth Bale. Um jogador que pode estar de saída da capital espanhol, com o Manchester United a assumir publicamente o interesse na sua contratação.

“Se Bale joga amanhã [esta terça-feira] não penso poder contratá-lo. Significa que está nos planos do seu treinador, do clube e, nos seus próprios planos, continuar em Madrid. Se não está nos seus planos e é verdade o que diz a imprensa, de que para a entrada de outro jogador Gareth estará na porta de saída… Se está na porta de saída, tentarei contratá-lo e lutarei com outro treinador que também o pretenda. Mas se jogar amanhã, é evidente que vai continuar”, concluiu.

E Zidane não contornou o assunto “O importante é que Bale está bem. O que me interessa não é o que disse o treinador do Manchester, mas sim o que nós vamos fazer (…) Ele [Mourinho] vai fazer a sua equipa e eu vou fazer a minha. Cada um pode lançar um pouco de gasolina, mais isso não vai mudar nada. Estamos concentrados e isso é o mais importante.”

Com ou sem Bale na decisão da Supertaça, a perspectiva é que esta seja um grande partida, para abrir o apetite da próxima edição da Liga dos Campeões. Uma competição para a qual o United ganhou o acesso com o triunfo na Liga Europa, na última temporada, após falhar a entrada na principal competição da UEFA via Premier League, onde não foi além do sexto lugar.

Frente-a-frente estarão duas equipas que somam 15 Taças/Ligas dos Campeões Europeus nos currículos, 12 para os espanhóis e três para os ingleses. Neste particular, esta partida será especial para Cristiano Ronaldo, que está convocado e poderá estrear-se esta temporada com a camisola do Real.

O madeirense vai defrontar o clube que o lançou para o estrelato mundial, ao serviço de quem conquistou a primeira das suas quatro Ligas dos Campeões. Será a terceira vez que encontra o United desde que abandonou Old Trafford, na temporada 2009-10, tendo marcado nos dois últimos encontros, relativos aos oitavos-de-final da Champions de 2012-13.

Outro dos protagonistas deste jogo, que será disputado no Arena Philip II, em Skopje, capital da Macedónia, será o calor. As temperaturas nos Balcãs têm rondado os 40 graus, por estes dias, e a UEFA autorizou paragens, aos 30 e 60 minutos, para os jogadores se refrescarem, caso os termómetros ultrapassem os 32 graus.