Torne-se perito

Cartão de cidadão: previna-se antes de sair de casa

Preparar-se para enfrentar o sistema pode poupar-lhe várias horas de espera. Usar o computador é a melhor táctica.

Foto
Clicando no link das estatísticas do site do IRN é possível saber quais os tempos de espera da última semana Adriano Miranda

Existem algumas tácticas que quem tiver mesmo de tratar do Cartão do Cidadão por estes dias pode usar para minorar irritações provocadas pelos elevados tempos de espera. Já é possível agendar o atendimento presencial com antecedência através do portal do Instituto dos Registos e Notariado (IRN), ou então pelo telefone. Quem o não fez porque tem pressa e os agendamentos podem ser só para daqui a muito tempo tem como alternativa tirar também online uma senha de atendimento para o próprio dia. Clicando no link das estatísticas do site do IRN é possível saber quais os tempos de espera da última semana (muito embora os critérios de medição usados não discriminem a informação nos períodos superiores a 45 minutos). Pode optar-se entre ficar cinco ou seis horas no centro de Lisboa ou rumar por exemplo à Azambuja, a meia hora de carro da capital, onde na semana entre 17 e 21 de Julho a espera para pedir o documento não ultrapassava os 25 minutos. Na mesma cidade diferentes repartições apresentam demoras desiguais: na delegação do Porto do Departamento de Identificação Civil o tempo de espera para pedir o cartão era naquela altura superior a três quartos de hora, mas baixava para menos de 15 minutos nas conservatórias do registo comercial e predial.

Já em meados de 2014 se tinham registado problemas relacionados com excesso de procura nos serviços que emitem o cartão.

Sugerir correcção