Melhorias na Linha Verde levam ao encerramento da estação de Arroios

Estação de Arroios vai encerrar nesta quarta-feira para obras, voltando a reabrir em 2019.

A reabertura da estação de metro de Arroios será em 2019.
Foto
A reabertura da estação de metro de Arroios será em 2019. Enric Vives-Rubio

Uma estação envelhecida e sem capacidade para seis carruagens é a justificação para a remodelação da estação de metro de Arroios, o que leva ao seu encerramento temporário. A estação da Linha Verde fecha esta quarta-feira e está previsto reabrir em 2019. As melhorias previstas vão permitir uma melhor circulação na linha e um aumento na oferta por parte do Metro.

Este projecto visa a ampliação do cais de embarque para que este receba comboios de seis carruagens, a modernização dos equipamentos e garantir uma melhor acessibilidade à estação. Actualmente, a Linha Verde circula apenas com três carruagens devido à dimensão da estação de Arroios, a mais pequena da linha. Com estas obras está previsto ainda criar-se uma estação "esteticamente mais apelativa", diz o comunicado de imprensa da empresa. Será ali instalado um painel cerâmico de Nikias Skapinakis, criado em 2005 para a estação, que se chama Cortina Mirabolante.

As alternativas ao uso da estação de Arroios são a utilização da estação de Alameda ou de Anjos, sendo que a primeira é a mais próxima, ao localizar-se a aproximadamente 400 metros de distância da estação que irá ser encerrada. A utilização dos autocarros é outra das opções, visto que a sua frequência será reforçadas pela Carris na zona de influência da estação. Entre estas carreiras encontram-se as que servem a estação da Alameda (717, 718, 720, 735, 797, sendo que esta última será prolongada provisoriamente à Alameda) e as que servem a estação de Anjos (712, 726 e 730).

A obra de remodelação da estação de Arroios faz parte do Plano de Desenvolvimento Operacional da Rede, anunciado no dia 8 de Maio. A obra conta com um total de investimento de 7,5 milhões de euros e está a cargo do Metropolitano de Lisboa. A obra está dividida em 11 fases. 

Este plano inclui também o prolongamento de linha de forma a ligar a estação do Rato ao Cais do Sodré e a reabilitação de estações, não só de Arroios, mas do Areeiro, Baixa-Chiado, Olivais e Colégio Militar.

Texto editado por Ana Fernandes