Patrícia Mamona e Diogo Ferreira discretos em Rabat

Mamona não chegou sequer a atingir a marca dos 14 metros no último meeting da Liga de Diamante antes dos Mundiais de Agosto.

LUSA/MOHAMED MESSARA
Foto
LUSA/MOHAMED MESSARA

Teve lugar no domingo, em Rabat, capital marroquina, o penúltimo meeting da Liga de Diamante de atletismo antes dos Mundiais de Londres de Agosto, com a presença dos portugueses Diogo Ferreira, no salto com vara masculino, e Patrícia Mamona, no triplo salto feminino.

A presença lusa foi discreta, desta feita. Patrícia Mamona, antes do período de descompressão que antecede os Mundiais, foi sexta no triplo salto, e não atingiu sequer a barreira dos 14 metros, que costuma ser rotina para ela, ficando-se por 13,94m. Ganhou, prolongando a sua série de triunfos, a campeã olímpica colombiana Caterine Ibargüen, com 14,51m, à frente da jamaicana Kim Williams (14,31m).

Na vara, Diogo Ferreira passou 5,20m mas já não conseguiu superar 5,40m, pelo que ficou em sétimo lugar, numa prova que confirmou a grande forma do polaco Pawel Wojciechowski, que derrotou a forte concorrência com 5,85m.

O momento mais marcante da reunião foi protagonizado pelo marroquino Soufiane el Bakkali, ao conseguir dar a volta aos quenianos numa das suas disciplinas de eleição, os 3000m obstáculos, impondo-se com um máximo pessoal de 8m05,12, largamente à frente do melhor especialista dos últimos dois anos, o queniano Jairus Birech (8m10,91s). E na mesma distância plana também o público festejou, dado que o marroquino Abdalaati Iguider, mais conotado com os 1500m , impôs a sua velocidade terminal ao espanhol – de origem marroquina - Adel Mechaal, para vencer com 7m37,82s.

Nos 200m, o canadiano Andre de Grasse aproximou os 20 segundos, com 20,03s, e na volta à pista feminina manteve-se imbatível Shaunae Miller, das Bahamas, de novo abaixo de 50 segundos, com 49,80s.