Teixeira Lopes defende revisão da lei das rendas

Cabeça de lista à Câmara do Porto critica a política de “gestão imobiliária” de Rui Moreira.

Fotogaleria
Catarina Martins marcou presença no lançamento da candidatura de João Teixeira Lopes à Câmara do Porto
Fotogaleria
O deputado José Soeiro, o candidato à assembleia municipal João Semedo e o ex-líder do BE Francisco Louça
Fotogaleria
Alexandra Oliveira, investigadora na área do trabalho sexual, é a mandatária de João Teixeira Lopes
Fotogaleria
Alexandra Oliveira, investigadora na área do trabalho sexual, é a mandatária de João Teixeira Lopes
Fotogaleria
Alexandra Oliveira, investigadora na área do trabalho sexual, é a mandatária de João Teixeira Lopes

João Teixeira Lopes, que lidera a lista do Bloco de Esquerda à Câmara do Porto, diz que a sua candidatura “polariza o campo da esquerda socialista, republicana e popular no Porto, capaz de construir as maiorias sociais e políticas necessárias às soluções que interessam às pessoas”.

No discurso de lançamento da sua candidatura, no Porto, onde atacou a política de "gestão imobiliária" do executivo liderado pelo independente Rui Moreira, o cabeça de lista do BE afirmou que se candidata “para derrotar” a ideia de que o Porto é uma imagem para ser vendida no altar da especulação imobiliária.

Numa sala do Mercado Ferreira Borges, Teixeira Lopes saiu em defesa de uma revisão da lei das rendas ao mesmo tempo que exigiu um “forte aumento da oferta pública de habitação”. Anunciou, de seguida, a criação de uma “taxa turística que permita obter recursos para um ambicioso programa de reabilitação dos edifícios municipais devolutos e a sua colocação numa bolsa de arrendamento a preços controlados condicionando os preços do mercado". E a propósito da criação de uma taxa turística de dois euros aprovada há dias pelo executivo da Câmara do Porto, recordou que Rui Moreira “rejeitou-a durante quatro anos”.

No final, apresentou um pacote de quatro propostas para a cidade, abrangendo quatro áreas que considera fundamentais para a reabilitação do Porto. Uma delas passa pela criação de um "programa municipal de combate ao abandono e isolamento de idosos com uma rede municipal de cuidadores, garantindo um apoio continuado a esta população".

Já Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda, advertiu que o Porto "não pode ser transformado numa Disneylândia de fachadas sem gente dentro, sem ligação com a memória daquilo que foi". "Queremos um Porto vivo e vivido com lugar para todas e para todos e não como figurantes de quem passa", declarou a dirigente bloquista, garantindo que "é a esse Porto que não tem dado lugar à sua gente" que os candidatos do BE se apresentam "para dar resposta".

Na sala, para além dos membros das listas aos órgãos autárquicos, como João Semedo, candidato à Assembleia Municipal do Porto, estavam Francisco Louçã, a eurodeputada Marisa Matias e o deputado José Soeiro.