Torne-se perito

Pelo terceiro ano consecutivo, portugueses vão mais ao cinema

No primeiro semestre houve mais um milhão de espectadores para o cinema nas salas do país. Velocidade Furiosa 8, A Bela e o Monstro e As Cinquenta Sombras Mais Negras são os mais vistos.

Foto
Charlize Theron em Velocidade Furiosa 8, o filme mais visto até agora em 2017 DR

Pelo terceiro ano consecutivo, os portugueses voltaram a ir mais ao cinema. Mais um milhão de espectadores para o cinema em Portugal, a que correspondem 41,3 milhões de euros de receitas brutas de bilheteira, mais seis milhões do que em 2016, divulgou o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA) no seu balanço do primeiro semestre de 2017.

em 2015 os cinemas portugueses tinham ganho um milhão de espectadores, depois de uma década de perda de frequentadores de salas em que houve uma diminuição de cinco milhões de portugueses que vão ao cinema. Nos primeiros seis meses de 2015, foram ao cinema 6,6 milhões de espectadores; no semestre inicial de 2016, novo aumento de venda de ingressos (embora ligeiro) para 6,8 milhões. A Velocidade Furiosa 7As Cinquenta Sombras de Grey e Zootrópolis, respectivamente, os filmes mais vistos dos semestres de 2015 e 2016, juntam-se agora os bons resultados de duas sequelas – Velocidade Furiosa 8 e As Cinquenta Sombras Mais Negras –, e da fantasia Disney de A Bela e o Monstro, os mais populares, até agora, de 2017. Desde o início do ano e até 30 de Junho venderam-se 7,9 milhões de bilhetes de cinema para sessões comerciais em Portugal.

A tendência de quebra nos resultados começou a inverter-se depois de 2014, ano em que se venderam apenas 12,1 milhões de bilhetes de cinema em Portugal, o pior em 11 anos. Em 2016, muito perto de 15 milhões de pessoas foram às salas (14,9 milhões de espectadores), ainda longe, mas mais perto, dos 17,1 milhões de ingressos vendidos em 2004, o primeiro ano em que se compilaram resultados após a informatização das bilheteiras do país.

Os números do ICA mostram ainda que o filme português mais visto foi Jacinta, de Jorge Paixão da Costa, sobre a pastora de Fátima, que teve 45.200 espectadores, e que entre as obras cuja produção é apoiada pelo Estado foram já concluídas 15 longas (oito documentários e sete filmes de ficção, entre os quais obras de Salomé Lamas, Teresa Villaverde ou Joaquim Sapinho) e 12 curtas – um “crescimento de 58,8%” em relação ao ano anterior, lê-se no relatório. Perdidos, de Sérgio Graciano, segue Jacinta de perto no número de espectadores (43.524) e o premiado São Jorge, de Marco Martins, também (41.238 espectadores).

Velocidade Furiosa 8 teve 786 mil espectadores, seguido do filme Disney com 534 mil espectadores e de As Cinquenta Sombras Mais Negras, visto por 436 mil pessoas. O top dez perfaz-se com Boss Baby, Piratas das Caraíbas: Homens mortos não contam histórias, o oscarizado La La Land: Melodia de Amor, o filme Marvel Logan, a animação sequela de Smurfs: A aldeia perdida, a adaptação do videojogo Assassin’s Creed e o mais recente Scorsese, Silêncio.