Itália: Derrocada parcial de edifício faz oito desaparecidos

Incidente aconteceu em Torre Annunziata, a cerca de quatro quilómetros de Pompeia. Colapso aconteceu pelas 6h20, com duas famílias, entre as quais duas crianças, ainda por encontrar.

Fotogaleria
Imagem da derrocada EPA/CIRO FUSCO
Fotogaleria
LUSA/CIRO FUSCO
Fotogaleria
LUSA/CIRO FUSCO
Fotogaleria
LUSA/CIRO FUSCO
Fotogaleria
LUSA/CIRO FUSCO

Uma derrocada de parte de um prédio com cinco andares na manhã desta sexta-feira num subúrbio da cidade italiana de Nápoles fez para já oito desaparecidos, dois dos quais crianças, noticia a imprensa italiana, com o La Reppublica a actualizar o número de pessoas desaparecidas ao início da tarde de sete para oito pessoas. O acidente ocorreu em Torre Annunziata, junto a Pompeia e no sopé do vulcão Vesúvio, e testemunhas no local indicam que não houve qualquer explosão que possa ter provocado o incidente.

Os bombeiros disseram ao canal televisivo Sky TG24 que pode haver pessoas soterradas nos escombros na localidade costeira, cita a Lusa. Torre Annunziata fica a cerca de quatro quilómetros da zona arqueológica de Pompeia e da cidade actual com o mesmo nome, sendo uma das estações da linha ferroviária circumvesuviana, frequentada por locais e milhares de turistas todos os anos. A agência de notícias italiana ANSA citou testemunhas que disseram que um comboio passou próximo do edifício. Segundo o diário La Stampa, foi já interrompida a circulação ferroviária.

O autarca de Torre Annunziata, Vincenzo Ascione, está já no local e deu conta de que os dois primeiros pisos do edifício estavam vazios por ali decorrerem obras e que no restante edifício habitavam duas famílias, uma das quais com duas crianças e a outra pertencente a um técnico da autarquia. A construção é dos anos 1950/60.

A edição local do diário nacional La Repubblica indica ainda que o colapso do edifício se deu pelas 06h20 (hora local, 05h20 em Lisboa) e cita uma testemunha, o proprietário de um edifício fronteiro ao agora derrocado: "a certa altura ouvimos um barulho, como se estivessem a cair muitas garrafas. Fomos ver e era uma nuvem de terra. Ainda não se percebia o que tinha acontecido. Depois começaram os gritos dos inquilinos do edifício contíguo e que ficou de pé. Nessa altura percebemos e chamámos os bombeiros", contou o vizinho, não identificado pelo diário italiano.  

Equipas de resgate e vizinhos estão a remover os escombros à mão, reporta o La Repubblica, enquanto os bombeiros em escadas verificaram a estabilidade da parte do edifício que se mantinha intacta, escreve por seu turno a Lusa.