Sinistralidade rodoviária: 237 mortos no primeiro semestre do ano

Há mais mortes, mais feridos, mas menos acidentes nas estradas portuguesas.

Foto
Porto foi o distrito onde se registou um maior número de mortes Daniel Rocha

Os acidentes nas estradas portuguesas provocaram no primeiro semestre do ano 237 mortos, mais 44 do que em igual período de 2016, segundo a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

A ANSR, que reúne dados da PSP e da GNR, indica esta terça-feira que 237 pessoas morreram, entre 1 de Janeiro e 30 de Junho, em consequência dos acidentes rodoviários. Em 2016, morreram 193.

No que diz respeito aos acidentes, segundo a ANSR, foram registados no primeiro semestre do ano 60.904 desastres, menos 681 do que em período homólogo de 2016 — tendo sido registados 61.585.

De acordo com a Segurança Rodoviária, os distritos com o maior número de mortos são Porto (35), Setúbal (33), Lisboa (24), Santarém (23), Faro (19) e Aveiro (15).

A ANSR indica também que, nos acidentes, 974 pessoas ficaram feridas com gravidade, mais 48 em igual período do ano passado — 926 em 2016.

Na última semana, de 22 a 30 de Junho, foram registados pela PSP dois mortos e 12 feridos graves. Já a GNR detectou na última semana nove mortos e 27 feridos graves em acidentes rodoviários.

Os dados da ANSR dizem respeito às vítimas cujo óbito foi declarado no local do acidente ou a caminho do hospital.