Detidas 27 pessoas por crimes de incêndio florestal desde o início deste ano

A Polícia Judiciária já deteve 27 pessoas por crimes florestais desde o início do ano. Nesta terça-feira, já foram detidos dois suspeitos pela prática de incêndio florestal.

Foto
Daniel Rocha

A Polícia Judiciária (PJ) já deteve e identificou, desde o início deste ano, 27 pessoas por práticas de crime de incêndio florestal, diz um comunicado publicado nesta terça-feira.

Através do Departamento de Investigação Criminal de Leiria, a PJ deteve nesta terça-feira, um homem de 43 anos, suspeito de atear um incêndio florestal. De acordo com o comunicado, o suspeito “ateou três focos de incêndio em área arborizada”, na localidade de Carvalheiro, em Alcanena.

O crime ocorreu na passada segunda-feira, pelas 14h e o suspeito agiu “num quadro impulsivo e depressivo”, lê-se na missiva. O detido vai ser presente às autoridades competentes “para a aplicação de medidas de coação tidas por adequadas”.

Já em Vila Pouca de Aguiar, a Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Vila Real, deteve um homem suspeito de atear um incêndio numa zona florestal, na freguesia de Telões.

A PJ afirma que o crime ocorreu no passado dia 6 de Abril, pelas 16h, colocando em perigo “uma vasta mancha florestal”. A PJ acrescenta ainda que a área florestal não foi consumida pelas chamas “devido à rápida intervenção dos bombeiros”.

O homem de 63 anos vai ser presente a interrogatório policial “para a aplicação das medidas de coação” adequadas, acrescenta a mesma nota.