Casa da Arquitectura é inaugurada a 18 de Novembro

Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos anunciou que as obras na Real Vinícola, futura sede da Casa da Arquitectura, terminarão em Setembro.

Foto
Fernando Veludo/NFACTOS

Deveria ter ficado concluída em Junho, mas houve atrasos e passou para Outubro. Agora já há uma data oficial para a abertura da Casa da Arquitectura – Centro Português da Arquitectura. Esta quarta-feira, Eduardo Pinheiro, presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, anunciou que a inauguração está marcada para o dia 18 de Novembro.

Trata-se do primeiro centro português dedicado à arquitectura e vai ocupar uma área de 4700 metros quadrados, situado no quarteirão da Real Vinícola, em Matosinhos, entre a Avenida Menéres e as ruas Sousa Aroso, D.João I e Mouzinho de Albuquerque.

No acervo deste edifício já se encontram projectos e maquetas dos arquitectos Álvaro Siza Vieira, Eduardo Souto de Moura e Paulo Mendes da Rocha, os três Prémios Pritzker de língua portuguesa.

Foi durante a conferência de apresentação da terceira edição do Open House Porto, um evento que este fim-de-semana abre as portas a vários espaços no Porto, Matosinhos e Vila Nova de Gaia, que o presidente da autarquia fez o anúncio e acrescentou que “as obras estarão terminadas em Setembro”.

“A Casa da Arquitectura é um edifício emblemático, que exigiu um esforço muito grande,  mas que permitiu a devolução à comunidade daquele que foi o primeiro quarteirão industrial em Matosinhos”, explicou Eduardo Pinheiro. O autarca sublinhou que este é um projecto já há muito tempo ambicionado e que vai “finalmente chegar ao grande público e não só aos especialistas e aos arquitectos”.

Numa visita à nova morada da Casa de Arquitectura, o arquitecto Nuno Sampaio confirmou que a segunda fase das obras, em que é instalado todo o equipamento, como luzes expositivas, imagem, som, mobiliário de arquivo e a loja, já começou e teve um investimento de dois milhões de euros.  

O director executivo explicou também como vão estar divididas as instalações. No piso da entrada está a galeria da casa, um espaço aberto a toda a comunidade que vai acolher exposições curtas e receber outro tipo de actividades diferenciadas. Há também uma zona de tratamento de arquivo, onde se localiza todo o serviço documental e digital.  A entrada neste espaço é reservada aos investigadores, mas os visitantes vão conseguir ver tudo o que se passa no arquivo através de uma parede de vidro que separa esta zona da entrada. "Nós sabemos que as pessoas vêm cá para ver exposições, mas se não houver todo este trabalho escondido essas exposições não são possíveis", sublinhou o arquitecto.

Já no primeiro piso encontra-se a nave expositiva, um espaço amplo que acolhe maioritariamente exposições temporárias, e a biblioteca, onde se encontram os arquivos que não estão disponibilizados na web, juntamente com uma sala de leitura. Haverá também um espaço para uma loja e uma zona dedicada a assuntos da direcção.

A abertura da Casa da Arquitectura vai ser acompanhada pela exposição Poder: Arquitectura, comissariada por Jorge Carvalho, Pedro Bandeira e Ricardo Carvalho, na qual vão ser apresentados quarenta projectos que ilustram a relação da arquitectura com oito tipo de poderes. 

O Presidente da Câmara de Matosinhos anunciou também que, antes da inauguração, o dia 22 de Julho vai acolher “a primeira abertura ao público da Real Vinícola, não da Casa da Arquitectura, mas do edifício como um todo”. Neste espaço, além do edifício da Casa da Arquitectura, vai estar sediada a Orquestra de Jazz de Matosinhos e “um conjunto de espaços comerciais muito ligados à arquitectura, ao design e às artes em geral”, concluiu o autarca.  

Texto editado por Luís Miguel Queirós