O “charmoso” comboio dos 40 regressa às linhas do Douro

“Este não é um comboio histórico, mas é um comboio com muita história” – o MiraDouro vai regressar dia 30 de Junho, com o objectivo de dar resposta à exponencial procura turística na região do Douro durante o período de Verão.

Fotogaleria
Adriano Miranda
Fotogaleria
Adriano Miranda
Fotogaleria
Adriano Miranda

Foi entre Contumil e Ermesinde que se realizou a curta, mas confortável, viagem de apresentação do comboio MiraDouro – num género de regresso ao passado. Espaçoso e colorido, este comboio com 70 anos, apesar da diferente tipologia, mantém as originais janelas panorâmicas, para melhor se usufruir das paisagens envolventes. E mantém “o ar condicionado dos anos 40”, ou seja nenhum. Com ainda apenas três carruagens, possui bancos rotativos e cerca de 200 lugares, mas a composição irá aumentar: encontram-se outras três carruagens ainda em processo de restauro, o que significa que, na totalidade, o MiraDouro terá capacidade para 400 passageiros.

Não é um comboio histórico, “mas é um comboio com muita história”. Mas, afinal, qual é a diferença? O “charmoso comboio”, agora apelidado de MiraDouro, não conserva todas as suas características originais, “como o comboio histórico do Douro e do Vouga”, e resulta da recuperação de seis carruagens produzidas em 1947, pela fabricante suiça Schindler e colocadas a operar em linhas portuguesas entre 1949 e 1977.

Durante esses 28 anos na Linha do Douro, para onde agora regressam, foram vários os restauros e “grandes alterações estéticas e comerciais, interior e exteriormente”, efectuados pela Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário (EMEF), do Grupo CP. A tracção é realizada pela locomotiva diesel dos anos 60, que conserva todas as características da sua época, ainda que, originalmente, a tracção fosse a vapor.

Apesar “de pretender dar resposta à crescente procura turística”, com uma “tipologia diferente da actual”, qualquer pessoa pode usufruir do MiraDouro e da sua comodidade. “Com um charme único, o comboio vai estar disponível a todos os passageiros”, diz Bruno Martins. Os bilhetes “podem ser adquiridos em qualquer canal de venda, por qualquer passageiro, viaje ele em grupo ou individualmente, em família ou com amigos”.

Este novo serviço da CP parte, todos os dias, a partir de 30 Junho, da Estação de Porto-São Bento, efectua paragem em Campanhã, no Peso da Régua e Pinhão e termina a viagem na Estação do Tua. Os preços são idênticos aos praticados no serviço Interregional: 11,60 euros para o percurso Porto-Tua e 9,75 euros entre Porto-Peso da Régua. “Apesar deste ser um comboio especial, quisemos que os preços fossem os mesmo”, explicou Bruno Martins, porta voz da CP. Aliás, entre a primeira e a segunda classe não existe qualquer diferença de preço.

As viagens diárias prolongam-se até 30 de Setembro, com partida de São Bento às 9h25 e chegada ao Tua às 12h28. No regresso, a partida é às 16h34 e a chegada às 20h55, com excepção de sábados, domingos e feriados, em que a chegada se prevê às 12h30.

Texto editado por Ana Fernandes