Amiga de Park condenada a três anos de prisão

É a primeira condenação de Choi Soon-sil, considerada culpada por ter usado as suas ligações à ex-Presidente para conseguir que a filha fosse admitida numa universidade.

Choi é levada para o julgamento no Tribunal Distrital Central de Seul
Foto
Choi é levada para o julgamento no Tribunal Distrital Central de Seul Reuters/YONHAP

A amiga da ex-Presidente sul-coreana Park Geun-hye foi condenada a três anos de prisão por ter usado a sua proximidade à Presidente para assegurar a entrada da filha numa prestigiada universidade.

Choi Soon-sil esteve na origem do caso que abalou a sociedade sul-coreana e que culminou com a destituição de Park – a primeira líder a ser afastada por este método na era democrática. A amizade entre Choi e Park veio a revelar-se nociva para a Presidente, que terá dado acesso privilegiado à amiga a informações confidenciais e pedido sugestões em várias ocasiões, desde discursos públicos até à roupa que deveria usar.

Choi terá usado a proximidade que tinha com Park para conseguir vários favores e até financiamento para uma fundação que presidia. Um dos casos envolveu o ingresso da sua filha, Chung Yoo-ra, na Universidade Feminina Ewha, em 2015.

Segundo a acusação, a universidade permitiu a entrada de Chung, apesar de a jovem quase não frequentar as aulas. Em troca, a instituição terá recebido subsídios estatais e viu projectos autorizados.

Os juízes do Tribunal Distrital Central de Seul consideraram Choi culpada de tráfico de influências e condenaram a empresária a três anos de prisão. A acusação pedia uma pena de sete anos.

Esta é a primeira condenação de Choi, que é arguida em vários outros processos relacionados com o mega-esquema de corrupção que também envolve a ex-Presidente e vários dirigentes de algumas das principais empresas sul-coreanas.