Banco Barclays e quatro antigos gestores acusados de fraude

Em causa estão pagamentos indevidos a investidores do Qatar.

Foto
John Varley, ex-director-executivo do Barclays, é um dos acusados Reuters/Keith Bedford

O banco Barclays e quatro antigos gestores da instituição, entre os quais um ex-director, estão a ser acusados de fraude pelo Gabinete Antifraude do Reino Unido (SFO, na sigla inglesa), por pagamentos indevidos a investidores do Qatar.

O SFO anunciou esta terça-feira que vai acusar o banco de cometer fraude por falsa representação e por assistência financeira ilegal no âmbito da angariação de 12 mil milhões de libras de fundos de emergência em 2008.

 A instituição ainda não tomou uma posição sobre o assunto e declarou que está à espera de mais informação.

Quatro antigos altos quadros do banco – John Varley (antigo director-executivo), Roger Jenkins, Thomas Kalaris e Richard Boath – também foram acusados dos mesmos crimes pelo SFO. A angariação de fundos permitiu um empréstimo de três mil milhões de libras concedido ao Qatar em Novembro de 2008.

Os banqueiros são os gestores de mais alto nível a ser acusados de crimes alegadamente cometidos durante a crise financeira de 2008 que afectou o sistema financeiro global e provocou uma recessão mundial.

Roger Jenkins mostrou-se disposto a defender-se das acusações. “Como é de esperar nas desafiantes circunstâncias de 2008, o senhor Jenkins recebeu aconselhamento jurídico interno e externo sobre cada tópico que consta das acusações de hoje”, afirmou à Reuters o seu advogado Brad Kaufman.